Após atentado em Boston, Fifa promete reforçar segurança na Copa

Secretário-geral da entidade disse que medidas incluem agentes do serviço secreto e até a Interpol

AE-AP, Agência Estado

16 de abril de 2013 | 18h25

PORTO PRÍNCIPE - Assustado com as bombas que mataram três pessoas na Maratona de Boston, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke afirmou nesta terça-feira que a entidade vai reforçar a segurança durante a disputa da Copa do Mundo, no próximo ano, no Brasil.

Em visita ao Haiti, Valcke explicou que as medidas de segurança vão incluir agentes do serviço secreto, policiais, militares e até a Interpol. Ele disse ainda que o perímetro dos estádios será ampliado e que um satélite vai incrementar a segurança sobre o Brasil.

As declarações de Valcke sobre segurança acontecem um dia depois da explosão de duas bombas instaladas perto da linha de chegada da Maratona de Boston, na tarde de segunda-feira. As explosões mataram pelo menos três pessoas e deixaram ao menos 170 feridos.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa de 2014segurançaValcke

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.