Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Laurence Griffiths/Reuters
Laurence Griffiths/Reuters

Após atletas serem alvos de racismo, Manchester United condena ofensores: 'Idiotas irracionais'

Clube sai em defesa de Tuanzebe e Martial após ataques registrados nas redes sociais na sequência de derrota

Redação, Estadão Conteúdo

28 de janeiro de 2021 | 15h23

O Manchester United se declarou enojado com os insultos racistas online que foram dirigidos aos jogadores Axel Tuanzebe e Anthony Martial após a derrota, em casa, por 2 a 1, para o último colocado do Campeonato Inglês, o Sheffield United.

Os abuso direcionados aos atletas, que são negros, incluíram termos racistas e emojis em seus posts mais recentes no Instagram. Os perpetradores são "idiotas irracionais anônimos", disse o clube em comunicado divulgado nesta quinta-feira.

O gol da vitória do Sheffield United na quarta-feira no Old Trafford, saiu após uma finalização acertar o joelho de Tuanzebe, impedindo a defesa de De Gea. "Todos no Manchester United estão enojados com o abuso racial recebido por jogadores via redes sociais após o jogo da noite passada", disse o clube. "Nós condenamos totalmente e é encorajador ver outros torcedores condenando isso nas redes sociais também."

O clube disse ter "tolerância zero" com qualquer forma de racismo ou discriminação. "Identificar esses idiotas irracionais anônimos permanece problemático. Nós pedimos às plataformas de redes sociais e autoridades regulatórias para que fortaleçam as medidas para prevenir este tipo de comportamento."

Tuanzebe publicou nesta quinta-feira a mensagem "Unidos Contra o Racismo" no recurso Stories no Instagram. O capitão Harry Maguire estava entre as vozes de apoio aos jogadores, com publicações online "Unidos contra o racismo. Não vamos tolerar isso."

O sindicato dos jogadores chamou o abuso de "inaceitável" e encorajou os jogadores a apresentarem acusações, se possível. "As contas de quem enviou as mensagens devem ser banidas. Os detalhes delas precisam ser fornecidos às autoridades competentes para que tomem medidas adicionais", disse em um comunicado. "O racismo sistêmico causa traumas, e os jogadores de futebol não estão imunes em virtude de sua profissão. A saúde mental dos jogadores pode ser afetada por abusos raciais e o impacto de preconceito racial mais amplo na sociedade", acrescentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.