Bruno Cantini/Atlético
Bruno Cantini/Atlético

Após Atlético-MG ampliar jejum, Luan promete que time vai melhorar

Atacante crê que time mineiro irá apresentar melhora sob o comando de Vágner Mancini

Redação, Estadao Conteudo

16 de outubro de 2019 | 22h10

O Atlético-MG voltou a tropeçar no Campeonato Brasileiro, agora sob o comando de Vágner Mancini que estreou no lugar de Rodrigo Santana no empate por 2 a 2 ante o CSA, no estádio Rei Pelé, em Maceió, nesta quarta-feira, pela 26.ª rodada. Estes, aliás, foram os primeiros gols sofridos pelo clube mineiro contra a equipe alagoana em toda a história.

Até então, o Atlético tinha cinco vitórias e um empate sem gols, além de 16 gols marcados e nenhum sofrido. E Alecsandro, jogador que já atuou com a camisa alvinegra, acabou com o jejum ao abrir o placar para o CSA. Como se isso não bastasse, o Atlético chegou a cinco jogos sem vitória no Brasileirão - três derrotas e dois empates.

O atacante Luan acha que com o novo técnico e a união do grupo o time tem tudo para melhorar. "A gente veio determinado a vencer, mas todo grupo correu muito e tenho certeza de que vamos melhorar. Agora teremos o Santos em casa e vamos buscar a vitória ao lado da nossa torcida", disse.

O jogador do Atlético, por sinal, deixou o campo emocionado. Ele é alagoano e desandou a falar à beira do gramado sobre a emoção de lembrar os momentos de infância.

"É uma emoção muito grande, porque eu nasci aqui num lugar pequeno no interior chamado Goieté e andava pelas praias de Pajuçara e Francês. Mas nunca tive a chance em jogar em algum time aqui em Maceió. Se jogar foi emocionante, marcar um gol foi muito mais, vibrei muito e ainda estou arrepiado", disse Luan que chegou a marcar o segundo gol do time mineiro, que era o da virada, mas logo em seguida o time sofreu o empate em um pênalti.

Os mineiros estão em posição intermediária na classificação do Brasileirão com 32 pontos e voltarão a jogar no domingo, no Independência, contra o Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.