Alex Silva/ Estadão
Alex Silva/ Estadão

Após bater rival, Dorival Júnior não pensa em título: 'realidade é jogo seguinte'

Diferença para o líder Palmeiras é de sete pontos

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

14 Outubro 2016 | 07h30

O Santos derrotou o São Paulo por 1 a 0, nesta quinta-feira, no clássico disputado no estádio do Pacaembu, na capital paulista, mas o técnico Dorival Júnior revelou, em entrevista coletiva após a partida, que não quer pensar em título no Campeonato Brasileiro. Mesmo com o empate do líder Palmeiras, que fez a diferença diminuir para sete pontos (61 a 54).

"A realidade é o jogo seguinte. Não estamos pensando em Palmeiras, Atlético Mineiro, no Flamengo. Nós temos que fazer a nossa parte, depois de cada rodada vamos analisar. O principal é que estamos caminhando para sermos mais efetivos", afirmou Dorival Júnior.

"Não tem como fazer (projeção). Eu nunca jogo pensando nos resultados que possam acontecer nas rodadas seguintes. Nós procuramos fazer a nossa parte. Eu nunca fico aqui buscando: 'vamos pontuar aqui e ali...' Não tem como fazer previsão. A realidade é a partida seguinte. O Grêmio agora é nosso objetivo próximo", completou o técnico, já projetando a partida deste domingo, na Vila Belmiro.

O Santos está na mesma situação do ano passado, quando disputava duas frentes - a Copa do Brasil e a luta por vaga no G4 do Brasileirão. No fim, não foi bem no Nacional e perdeu na decisão do torneio de mata-mata para o Palmeiras.

"Não dá pra saber. Acaba uma partida como essa e temos que estar em campo daqui a pouco, em treinamento para domingo, pois temos um jogo difícil e complicado. Não dá pra saber. Se eu entrasse com a equipe titular (final do ano passado) diriam que eu fui olho grande. Futebol é assim. Depois de resultado feito... No sábado de manhã antes da partida contra o Coritiba eu trabalhei com os titulares e eles sinalizaram que não estavam bem. Chega um momento que você tem que tomar uma decisão, certo ou errado", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.