Após boa atuação, Valdivia não quer saber de descanso

Valdivia jogou menos de meia hora na noite desta terça-feira, mas fez a diferença - foi o responsável pelas jogadas dos dois últimos gols, de Wesley e Alan Kardec. Ao final da vitória por 4 a 0 sobre o Icasa no Pacaembu, que devolveu a liderança da Série B ao Palmeiras, o meia chileno admitiu que não queria ter ficado no banco de reservas e que vive um momento "fominha" com a camisa palmeirense.

AE, Agência Estado

31 de julho de 2013 | 00h30

"Eu não queria sair. O complicado de ficar no banco é que se o time vai bem, você fica fora. Não tem cadeira cativa no time, mas respeitei a decisão da comissão técnica e quero jogar na sexta-feira", avisou Valdivia, que foi poupado pelo técnico Gilson Kleina nesta terça por causa do histórico de lesões, mas já projeta a próxima partida do Palmeiras, também no Pacaembu, contra o Bragantino.

Também nesta terça-feira, Valdivia voltou a ser convocado para a seleção chilena. Novamente em boa fase no Palmeiras - já são cinco boas atuações seguidas -, ele foi chamado para defender o Chile no amistoso contra o Iraque, em 14 de agosto, na Dinamarca. Com isso, não enfrentará o Joinville no dia 13, em Santa Catarina, e pode não jogar também contra o Paysandu, no dia 17, pela Série B.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasValdivia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.