Oli Scarff/AFP
Oli Scarff/AFP

Após campanha de Rashford, governo anuncia fundo alimentar na Inglaterra

Recursos de mais de R$ 700 milhões são liberadores após atacante do Manchester United relembrar infância pobre

Redação, Estadão Conteúdo

16 de junho de 2020 | 12h09

A longa e emocionante carta enviada pelo atacante Marcus Rashford, do Manchester United, fez o governo da Inglaterra criar um "fundo escolar" para fornecer alimentação a crianças de famílias carentes durante as férias no país.

Os recursos, anunciados nesta terça-feira pelo primeiro-ministro Boris Johnson, serão de 120 milhões de libras (cerca de R$ 773 milhões). Rashford, de 22 anos, escreveu uma carta pública ao Parlamento inglês no último fim de semana relembrando sua infância difícil e pedindo que o vale-alimentação não fosse cortado por causa da pandemia do coronavírus.

O alunos que têm direito às refeições gratuitas em período escolar vão receber um vale válido de seis semanas para continuar recebendo o benefício. De acordo com a BBC, Johnson agradeceu a Rashford pela "contribuição ao debate sobre a pobreza".

Com o retorno o futebol na Inglaterra, Rashford deverá estar em campo com a camisa do Manchester United, em Londres, diante do Tottenham, nesta sexta-feira, pela 30.ª rodada da competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.