Leandro Silveira/Estadão
Leandro Silveira/Estadão

Após cirurgia, Neymar fica no Brasil e inicia reabilitação no Rio

Cirurgia dura cerca de duas horas e atacante deve ter alta neste domingo. Jogador permanecerá em sua casa em Mangaratiba e será monitorado pelo PSG

Leandro Silveira, enviado especial a Belo Horizonte, O Estado de S.Paulo

03 Março 2018 | 13h51

Após ser operado com êxito neste sábado, em Belo Horizonte, o atacante Neymar inicia no domingo sua recuperação da fratura do quinto metatarso do pé direito visando à participação na Copa do Mundo. O primeiro passo, aliás, será a alta hospitalar do atacante, algo que deverá ocorrer nas primeiras horas do domingo.

+ Técnico do PSG nega divergência entre clube e seleção no caso Neymar

+ Ex-presidente do Barcelona diz que ida de Neymar ao PSG é ponte para Real Madrid

De Belo Horizonte, Neymar vai seguir para Mangaratiba, no litoral fluminense, onde iniciará o processo de reabilitação. O craque do Paris Saint-Germain conta com sua própria “comissão técnica”, o preparador físico Ricardo Rosa e o fisioterapeuta Ricardo Martini, que o acompanham desde a época que ele atuava no Santos.

O jogador deverá permanecer na sua residência nas próximas semanas, até ser liberado para realizar trabalhos em que poderá colocar o pé direito no chão. Isso deverá durar por ao menos 20 dias, com Neymar ficando principalmente em repouso, com movimentação limitada. Isso é necessário para que a fratura no quinto metatarso do pé direito tenha uma ótima cicatrização.

Ainda não há uma definição sobre onde Neymar realizará as partes mais importantes da sua reabilitação, focadas na recuperação da força. E essa definição envolverá a resolução de uma queda de braço entre Paris Saint-Germain e a seleção brasileira, algo que voltou a ser exposto neste sábado, quando a cirurgia foi realizada. 

Embora a operação no quinto metatarso do pé direito tenha sido liderada e realizada pelo médico da seleção brasileira, Rodrigo Lasmar, a divulgação das informações se concentraram no clube francês, com os detalhes da operação sendo revelados apenas através de um comunicado oficial divulgado por Neymar, PSG e a CBF.

“A intervenção liderada pelo Dr. Rodrigo Lasmar ocorreu perfeitamente bem. Consistiu na colocação de um parafuso associado a um enxerto ósseo na lesão do quinto metatarso do pé direito. A reabilitação pós-operatória começará imediatamente sob a supervisão de fisioterapeutas do clube. Um relatório será feito em 6 semanas para esclarecer a data possível da retomada do treinamento”, disse o clube francês.

Cirurgia

A operação de Neymar foi realizada por pois dois médicos, sendo um deles Lasmar, acompanhados por um anestesista. Foram eles que colocaram um pino para corrigir a fratura no quinto metatarso do pé direito.

O atacante da seleção permaneceu por duas horas no bloco cirúrgico do Mater Dei, localizado no quinto andar, sendo liberado depois de uma hora para repousar e iniciar a sua recuperação no seu quarto, uma suíte vip e conjugada.

De acordo com previsão realizada por Lasmar antes da operação, Neymar poderá ficar por até três meses sem atuar, o que o faria realizar o seu retorno aos gramados às vésperas da Copa do Mundo, já em amistosos preparatórios para o torneio – a estreia da seleção brasileira na Rússia será em 17 de junho, diante da Suíça.

Além disso, esse tempo para recuperação poderá fazê-lo perder o restante da temporada 2017/2018 do futebol europeu, pois a final da Liga dos Campeões está agendada para 26 de maio, sendo que uma semana antes se encerrará o Campeonato Francês.

A situação clínica de Neymar preocupa não só ao PSG – que deve perdê-lo para o restante da temporada – como também ao técnico Tite, na seleção brasileira. Afinal de contas, o atacante é o principal jogador do time nacional e mesmo que a previsão de retornar aos gramados dentro de três meses se confirme, existe a dúvida quanto à sua condição física no retorno aos gramados, já que estará há muito tempo sem jogar. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.