Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Após cirurgia no tornozelo, Léo Gago volta a correr no Palmeiras

Volante fez atividade ao redor dos campos da Academia de Futebol depois de três meses

AE, Agência Estado

31 de julho de 2013 | 19h50

SÃO PAULO - Quase três meses depois de ser submetido a uma cirurgia para reconstrução de ligamentos do tornozelo direito, o volante Léo Gago voltou a treinar no gramado da Academia de Futebol, centro de treinamento do Palmeiras, nesta quarta-feira. Quando passou pela operação, no começo de maio, ele tinha retorno previsto para o fim de agosto.

Nesta tarde, Léo Gago pela primeira vez deu piques ao redor dos campos da Academia de Futebol. Enquanto isso, os jogadores que atuaram mais de 45 minutos na vitória de terça à noite sobre o Icasa realizaram trabalho de fortalecimento muscular sob orientação dos preparadores físicos do clube.

O restante do elenco foi dividido em três equipes e disputou jogos em campo reduzido na atividade desta quarta-feira. O técnico Gilson Kleina acompanhou de perto a movimentação em que, a cada gol marcado, o time que estava aguardando para entrar em campo substituía a equipe derrotada.

Grande nome da vitória sobre o Isaca, com um pênalti defendido, Fernando Prass rejeitou as comparações com Marcos e disse que não tem um só estilo de atuar em cobranças de pênaltis. "Não tenho uma estratégia, depende muito do momento, do batedor, do jogo. Muitas vezes temos informações do batedor, e é mais fácil pensar uma estratégia. Mas o jogador do Icasa eu nunca tinha visto bater. Pênalti precisa de sorte também", destacou o goleiro.

O Palmeiras volta a treinar na tarde desta quinta-feira para fazer o último trabalho antes de enfrentar o Bragantino, sexta-feira, mais uma vez no Estádio do Pacaembu. A partida será válida pela 12ª rodada da Serie B e a equipe vai defender a liderança do torneio.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasSérie B

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.