Após classificação, Mogi volta ter a Rivaldo presidente

Após quase dois anos, o meia-atacante Rivaldo voltará à presidência do Mogi Mirim. O pentacampeão mundial acompanhou a vitória do time sobre o São Paulo, por 1 a 0, no último domingo de um dos camarotes do Estádio Romildo Vitor Ferreira e publicou no seu Twitter que voltará ao cargo mais alto do time.

AE, Agência Estado

22 de abril de 2013 | 19h05

"Amanhã (segunda-feira) voltarei a ser o presidente do Mogi Mirim, pois como o São Caetano disputava a mesma competição, eu não poderia exercer a função", disse o jogador.

Apesar do anúncio oficial, Rivaldo não abandonará a carreira de jogador, por enquanto. Wilson Bonetti continuará como vice-presidente e representante legal do Mogi Mirim. Sendo assim, o pentacampeão poderá conciliar a carreira de atleta e de dirigente, mesmo que não possa assinar documentos.

Rivaldo está na presidência do Mogi Mirim desde 2010 e logo que chegou mudou o nome do estádio João Paulo II para Romildo Ferreira, nome de seu pai. No ano seguinte, anunciou que disputaria o Paulistão pelo clube do interior, mas logo após assinar contrato se transferiu para o São Paulo.

Durante toda a temporada de 2011, quando defendeu o São Paulo, e durante sua passagem pelo Kabuscorp, da Angola, Rivaldo ficou afastado da presidência. No início deste ano chegou a negociar a venda do clube ao empresário Hélio Vasone, sócio do Mogi e dono da Energy Sports, mas o negócio não foi para a frente.

Rivaldo não poderia ter escolhido momento melhor para voltar ao Mogi Mirim. Isto porque o time se classificou às quartas-de-final do Paulistão como vice-líder. O adversário será o Botafogo. Como fez melhor campanha que o rival, o Mogi jogará em casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.