Após cobrança de pênalti displicente, Pato dá crédito a Dida

Atacante corintiano alega que 'treinou assim' durante os treinamentos

Fábio Hecico, AE - Agência Estado

24 de outubro de 2013 | 00h26

Alexandre Pato, que deu a vitória ao Corinthians na decisão por pênaltis contra o São Paulo na semifinal do Campeonato Paulista, "inventou" uma cavadinha diante do Grêmio que acabou gerando a eliminação corintiana na Copa do Brasil e pode ter decretado o fim de sua passagem no clube. Um dos jogadores mais cobrados pela torcida ao longo da temporada pelo investimento de R$ 40 milhões, o atacante saiu de campo como se nada demais tivesse acontecido e justificou o erro dando os méritos para o goleiro Dida.

"Eu treinei assim, batendo assim e aqui procurei bater assim. Infelizmente o Dida foi bem e pegou", repetiu, três vezes, o atacante, que era a esperança corintiana de se chegar à semifinal e ainda se manter vivo na busca por vaga à Copa Libertadores.

A displicência de Alexandre Pato deve lhe render uma bronca do técnico Tite e da diretoria do Corinthians, já que nos trabalhos da semana, até nos ensaios de pênaltis, a ordem era para se ter responsabilidade e seriedade.

A queda estragou uma noite que poderia ter sido especial para o goleiro Walter, após boa apresentação e por defender a cobrança de pênalti de Barcos. "Estou triste pra caramba, agora é trabalhar", lamentou o substituto de Cássio, mas que não pôs a culpa em Alexandre Pato. "Estou no grupo e se o time perdeu, também não fiz minha parte".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.