Após comandar o Flamengo interinamente, Jayme de Almeida diz que pode sair

Exaltado pela torcida do Flamengo presente ao Maracanã ao comandar o time, mesmo que de modo interino, no empate por 1 a 1 com o Náutico, pela terceira fase da Copa do Brasil, Jayme de Almeida evitou comentar se ficou chateado por não ter sido efetivado após a queda de Vanderlei Luxemburgo. Mas também revelou que sua volta ao clube, agora como auxiliar, aconteceu muito mais por causa do ex-treinador, do que pela diretoria.

Estadão Conteúdo

28 de maio de 2015 | 10h57

"Não fico frustrado, sei do que sou capaz. Nas oportunidades que me deram, provei que sou capaz. Se não me querem como técnico agora, tenho que respeitar. Voltei porque o Flamengo me aceitou, mas voltei muito pelo Vanderlei", disse após o jogo de quarta-feira.

Após a demissão de Luxemburgo, a diretoria do Flamengo contratou Cristóvão Borges. E Jayme revelou que não sabe se vai trabalhar com o novo treinador. "Aqui a gente não sabe o dia de amanhã. Se eu tiver aqui amanhã, vai ser um prazer enorme. Se precisar de ajuda, será um prazer", afirmou.

Jayme de Almeida foi jogador do Flamengo e trabalhou anteriormente como auxiliar técnico, sendo efetivado no cargo de treinador em 2013, após a saída de Mano Menezes. Ele conduziu o time aos títulos da Copa do Brasil de 2013 e do Campeonato Carioca de 2014, mas caiu após um início ruim no último Campeonato Brasileiro.

Cristóvão será apresentado nesta quinta e estreará no próximo domingo, quando o Flamengo enfrentará o Fluminense no Maracanã, em duelo válido pela quarta rodada do Brasileirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.