Facundo Arrizabalaga / EFE
Facundo Arrizabalaga / EFE

Após confirmar adeus ao Arsenal, Wenger é reverenciado por seu trabalho no clube

"Foi emocionante e agora será o momento de digerir isso, mas é um sentimento triste agora", afirmou o alemão Per Mertesacker, capitão do Arsenal

Estadão Conteúdo

20 de abril de 2018 | 14h50

Depois de confirmar oficialmente nesta sexta-feira que deixará o comando do Arsenal no final desta temporada europeia, o técnico Arsène Wenger, de 68 anos, foi reverenciado na Inglaterra e por uma série de personalidades importantes do futebol mundial pelo seu longo trabalho de 22 anos à frente do time de Londres.

+ Confira a tabela do Campeonato Inglês

A começar pelo próprio Arsenal, os jogadores do atual elenco da equipe lamentaram a decisão do comandante, que ainda tinha contrato com o time até o terminou da temporada 2018/2019, mas optou por encerrar antes deste prazo a sua trajetória no clube. Os atletas revelaram que não foi fácil receber esta notícia do próprio comandante nesta sexta.

"Foi emocionante e agora será o momento de digerir isso, mas é um sentimento triste agora", afirmou o alemão Per Mertesacker, capitão do Arsenal, que depois enfatizou: "Ele é a principal figura para este clube, são mais de 20 anos aqui, e isso foi muito impressionante".

O meia Jack Wilshere, por sua vez, sabe melhor do que a maioria dos atletas do plantel atual do time a importância de Wenger para o Arsenal, pois ingressou nas categorias de base do clube há 17 anos. "Nós não víamos (a saída do técnico) próxima porque ele tinha outro ano a cumprir em seu contrato", lamentou.

"Estou triste. É um pouco decepcionante que nós não pudemos dar a ele a temporada que queríamos, mas ainda temos uma chance de ganhar algo para que ele possa sair em alta", reforçou o jogador, se referindo ao objetivo de conquistar o título da Liga Europa, na qual o time inglês enfrentará o Atlético de Madrid nas semifinais - o jogo de ida do mata-mata será na próxima quinta-feira, em Londres. "Precisamos ganhar esse título para ele realmente e apoiá-lo nestes últimos poucos jogos para dar a ele a despedida que merece", finalizou.

FERGUSON

Um dos grandes nomes do mundo do futebol, Alex Ferguson exaltou a trajetória do colega e rival quando ainda estava na ativa, no comando do Manchester United - assim como Wenger, Ferguson teve longa trajetória em um clube, no caso do United.

"Numa era em que os treinadores duram duas às vezes apenas uma temporada num clube, é uma conquista o que Wenger conseguiu ao ficar tanto tempo num clube do tamanho do Arsenal. Fico feliz por ele ter anunciado a saída ainda neste momento da temporada porque aí poderá ter uma despedida que realmente merece", disse o ex-treinador.

A importância de Wenger também foi exaltada pelo presidente da Premier League, entidade que organiza o Campeonato Inglês. "É difícil resumir a magnitude da contribuição de Wenger para o Arsenal, para a Premier League e para o futebol em geral. Seus treinos inovadores e seus métodos para desenvolver os jogadores transformaram por completa o futebol inglês quando o futebol mais precisava", disse Richard Scudamore.

"Todos os times montados por Wenger eram agradáveis de ver em campo e os seus 'invencíveis' da temporada 2003/2004 são um dos melhores elencos da história do futebol inglês", disse Scudamore.

Um dos representantes daquela equipe campeã inglês em 2004, o ex-atacante Thierry Henry também lamentou a saída do treinador. "É um dia triste para mim. E estou feliz porque ele terá uma saída que merece. Eu lembro quando jogava pelo Arsenal e as pessoas falavam sobre o jeito como jogávamos, de como Arsène mudou o Arsenal e o tornou um time muito bem reconhecido em todo o mundo", disse o ex-atleta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.