Após candidatura, Platini ganha apoio da Confederação Asiática

Um dia após confirmar sua candidatura na futura eleição presidencial da Fifa, Michel Platini ganhou um apoio de peso. Nesta quinta-feira, o francês recebeu o suporte público da Confederação Asiática de Futebol. O novo pleito da Fifa está marcado para o dia 26 de fevereiro de 2016.

Estadão Conteúdo

30 de julho de 2015 | 09h22

"Platini vai trazer estabilidade e uma transição suave para a normalidade da Fifa neste momento difícil", declarou o xeque Salman bin Ebrahim Al Khalifa, presidente da entidade asiática. Na sua avaliação, o francês tem qualidades que o tornam "um candidato único", pedindo aos seus filiados que também apoiem Platini.

A confederação surpreendeu na última eleição da Fifa, no início de junho, ao apoiar oficialmente o suíço Joseph Blatter, mesmo contando com um filiado no pleito. O príncipe jordaniano Ali bin Hussein não recebeu o apoio formal da Confederação Asiática. Ao declarar seu apoio a Platini, a entidade volta a deixar de lado o príncipe, que já demonstrou interesse em se candidatar novamente - mas ainda não oficializou sua intenção. Na quarta, o jordaniano criticou a candidatura do francês. Para o príncipe Ali, Platini "não é bom para a Fifa". Os dois chegaram a causar rumores de que seriam aliados na nova eleição.

Com sua decisão, a Confederação Asiática também deve menosprezar a eventual candidatura do sul-coreano Chung Mong-joon, magnata da Hyundai. O ex-vice-presidente da Fifa já manifestou intenção de se lançar candidato na eleição de fevereiro.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.