Após confusão na Itália, Platini pede 'tolerância zero'

O presidente da Uefa, Michel Platini, comentou nesta quarta-feira os incidentes ocorridos no dia anterior na cidade italiana de Gênova, na partida entre Itália e Sérvia, pelas Eliminatórias para a Eurocopa de 2012. E aproveitou para pedir ajuda das autoridades para combater a violência nos estádios de futebol.

AE-AP, Agência Estado

13 de outubro de 2010 | 15h27

"A Uefa mantém uma política de tolerância zero quando se trata de violência nos estádios. A chave é contar com a colaboração das autoridades para acabar com esse problema e isto é o que peço às mais altas esferas nos países mais afetados", declarou Platini, em entrevista ao jornal francês L''Equipe.

A partida de terça-feira entre as duas seleções foi interrompida aos sete minutos, após diversos distúrbios ocorridos na torcida sérvia, que atirou sinalizadores no gramado e protagonizou cenas de vandalismo no Estádio Luigi Ferrari, em Gênova. Houve confusão também antes e depois da partida.

A polícia italiana já prendeu 17 indivíduos envolvidos na confusão, enquanto a Uefa informou que abrirá uma investigação para apurar os motivos e os autores do incidentes ocorridos na partida. Enquanto isso, o resultado ficou suspenso, mas a tendência é que a Itália seja declarada vencedora do jogo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.