Após confusão no vestiário, São Bento demite o técnico Paulo Roberto Santos

Treinador estava no clube desde 2013 e era o mais longevo no futebol brasileiro

Estadão Conteúdo

25 Junho 2018 | 14h22

Caiu nesta segunda-feira o técnico mais longevo do futebol brasileiro. Paulo Roberto Santos, à frente do São Bento desde 2013, não resistiu ao revés por 1 a 0 para o Londrina, sua primeira derrota em 12 rodadas na Série B do Campeonato Brasileiro. De acordo com o clube, sua saída "se deve ao desgaste do longo período de trabalho", mas, após o jogo no último sábado, o treinador discutiu com o presidente Márcio Rogério Dias no vestiário do estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba (SP).

De acordo com pessoas dentro do clube, que pediram para não se identificar, o presidente foi até o vestiário para cobrar uma reação dos jogadores, que venceram apenas três vezes na competição, mas Paulo Roberto Santos interveio para defender seus comandados, iniciando uma confusão. Em um primeiro momento, a direção do clube negou a saída do treinador, mas a sua permanência ficou insustentável nesta segunda-feira.

Pela manhã, Paulo Roberto ainda não sabia da decisão da diretoria e se dirigia normalmente pra o trabalho quando foi comunicado sobre a mesma. "Tomei a atitude que achava que deveria como um comandante. Infelizmente, algumas pessoas não entenderam bem meu ato", comentou o técnico ao falar sobre o episódio determinante para a sua demissão.

O presidente, por meio da nota oficial, "deixa claro que se encerra uma relação de trabalho, mas que a amizade e a gratidão pelo grande profissional Paulo Roberto Santos continua". Em Sorocaba desde 2013, ele fez 127 jogos, com 51 vitórias, 49 empates e 27 derrotas, um aproveitamento de pouco mais de 53%. Muito além dos números estão as suas conquistas, desde quando assumiu o clube ainda na Série A2 do Campeonato Paulista.

Em cinco anos de trabalho, Paulo Roberto Santos tirou o São Bento da segunda divisão estadual para a Série B do Campeonato Brasileiro. Em 2014, ele recolocou o clube na Série A1 após sete anos de insucessos. Depois, em 2016, disputou a Série D e logo já conquistou o acesso. Em 2017, um novo triunfo na Série C, ascendendo para a Série B, na qual o time está atualmente.

Sua saída acontece justamente após a primeira derrota na Série B. Em 12 jogos foram três vitórias, oito empates e apenas um revés, retrospecto que faz a equipe ocupar hoje a na oitava posição, com 17 pontos. A diretoria irá se reunir nos próximos dias para definir o substituto, mas é provável que o clube tenha de definir um interino para o jogo do próximo sábado, às 18 horas, contra o Criciúma, no estádio Heriberto Hulse, pela 13.ª rodada da competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.