Após críticas, Cole é liberado para defender Inglaterra

O lateral-esquerdo Ashley Cole escapou de uma punição da Associação de Futebol da Inglaterra (FA, na sigla em inglês) e foi liberado para defender a Inglaterra nos próximos jogos após pedir desculpas ao presidente da entidade, David Bernstein, na segunda-feira.

AE, Agência Estado

09 de outubro de 2012 | 12h30

Cole corria o risco de ser vetado da seleção e de receber uma longa suspensão no Campeonato Inglês por ter feito duras críticas à FA. Via Twitter, o lateral ofendeu os responsáveis pela punição imposta ao zagueiro John Terry, seu companheiro de time no Chelsea, por racismo em julgamento realizado em julho.

O lateral fez as críticas na sexta-feira passada assim que a FA revelou os motivos da condenação de Terry. A entidade reafirmou que o zagueiro proferiu palavras racistas contra Anton Ferdinand, do Queens Park Rangers, em outubro de 2011, mas disse que o jogador do Chelsea não é racista.

A manifestação irritada de Cole, que havia testemunhado a favor de Terry no julgamento, gerou uma denúncia formal na FA. O lateral do Chelsea poderia receber multa ou suspensão. No entanto, a entidade recuou nesta terça e perdoou o atleta após ouvir seu pedido de desculpas.

"Ele lamentou o que fez e disse estar arrependido. Eu o olhei nos olhos e senti que estava sendo sincero", declarou David Bernstein, presidente da FA. Com a liberação, Cole poderá defender a seleção da Inglaterra nas partidas contra San Marino, na sexta, e Polônia, na terça da próxima semana, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014.

Cole, que já treinava com o grupo quando foi denunciado na segunda-feira, alcançará a marca de 100 partidas pela seleção inglesa se entrar em campo nestes dois jogos das Eliminatórias.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolInglaterraFAAshley Cole

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.