Após críticas de Sobis e deputado, Cruzeiro defende jogo em Murici

Segundo diretor Klauss Câmara, clube não tenta mudar local da partida

O Estado de S.Paulo

06 de março de 2017 | 20h26

O jogo entre Cruzeiro e Murici, na próxima quarta-feira, pela terceira fase da Copa do Brasil, já está cercado de polêmica. No domingo, após a vitória por 1 a 0 sobre o América de Teófilo Otoni, pelo Campeonato Mineiro, o atacante Rafael Sobis criticou publicamente a marcação do jogo para o Estádio José Gomes da Costa, na cidade de Murici, em Alagoas, cujo gramado está longe de ser de alto padrão.

"Dona CBF, né?! Poderia ser em um campo melhor... A gente já tem informações que é algo meio desumano para o futebol atual", disse o atacante, esquentando a polêmica levantada pelo deputado estadual João Vitor Xavier (PSDB), famoso apresentador da Rádio Itatiaia.

O Murici se sentiu doído pelas declarações do deputado e soltou uma nota de repúblico. "O Estádio José Gomes da Costa tem total condições de receber qualquer partida de futebol, uma vez que foi inspecionado, aprovado e recebeu alvará pelos órgãos de fiscalização (Corpo de Bombeiros e Federação Alagoana de Futebol), e atualmente está sediando jogos do Campeonato Alagoano", garantiu o clube.

Ainda segundo Xavier, o Cruzeiro teria tentado junto à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) que o jogo fosse transferido para o Estádio Rei Pelé, em Maceió. "Não abrimos mão de atuar em nossa casa", garantiu o Murici.

Nesta segunda, o Cruzeiro precisou esfriar os ânimos. O diretor de futebol Klauss Câmara concedeu entrevista coletiva para garantir que: "não foi feito nada por parte do Cruzeiro, foi do muro do Cruzeiro para fora", negando que o clube tenha tentado mudar o local da partida. "Vetar o estádio não é competência nossa. Existe um regulamento e o Murici está cumprindo o que consta no regulamento", apontou.

Segundo ele, o Cruzeiro não tem interesse em que o foco esteja no estado do gramado. Por isso, o clube mineiro publicou nesta segunda-feira, em seu site, diversas declarações mostrando respeito ao Murici.

"Nós, jogadores, estamos acostumados a atuar em vários tipos de campo. Não é algo que vá nos preocupar. Maior preocupação é com o time deles, que eliminou dois grandes clubes", disse o goleiro Rafael. O Murici já passou por Juventude e América-MG.

"A escolha do local do jogo não pertence ao Cruzeiro. Se o local do jogo designado vai ser em Murici, o Cruzeiro vai jogar e vai respeitar. Não existe outra decisão. Vamos lá fazer essa homenagem ao Muricy, meu amigo, tetracampeão brasileiro", brincou Mano Menezes.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolCruzeiro Esporte Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.