Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Após críticas, dirigente do Corinthians diz que 'não bateu em ninguém' e apenas reconheceu erros

Jorge Kalil menosprezou o trabalho do marketing do clube e disse que o presidente Andrés Sanchez contratou demais no ano passado

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2020 | 11h22

Após ter feito duras críticas ao marketing do Corinthians e admitir que contratações excessivas de jogadores foram um equívoco, o diretor adjunto de futebol do clube, Jorge Kalil, afirmou, no último domingo, que "não bateu em ninguém", que  apenas "reconheceu os erros" do clube nesse quesito. "Eu fiz uma autocrítica, um mea-culpa. Fiz uma análise do que penso e o que deve ser melhorado no Corinthians. Reconheci nossos erros, foi simplesmente isso. Penso que é um ato de nobreza reconhecer seus próprios erros", explicou o diretor, em entrevista à TV Gazeta.

Além disso, Kalil comentou sobre o ambiente do Corinthians. O clube acumula três meses de salários atrasados, mas, segundo o dirigente, isso não seria um incômodo para os atletas. Eles estão tranquilos e sabem que serão pagos. "A pandemia trouxe problemas não só ao Corinthians, mas a todos os clubes e empresas do País. Eu tenho conversado com os atletas e todos eles estão tranquilos porque, apesar de saber que (os salários) estão atrasados, vamos pagar. Eles sabem que o Corinthians jamais deixará de pagá-los. Vai atrasar, mas eles estão tranquilos em relação a isso", disse.

O Corinthians voltará aos gramados no dia 22 de julho diante do Palmeiras. O Governo de São Paulo autorizou a retomada do Campeonato Paulista, paralisado desde março. A equipe alvinegra precisa vencer para se manter viva na competição. Dos grandes de São Paulo é o único que não está entre os classificados para a etapa seguinte do torneio. O time precisa vencer seus jogos e torcer por tropeços de rivais. Faltam duas rodadas para o fim da dase eliminatória.

Tudo o que sabemos sobre:
Corinthiansfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.