Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

Após críticas e lesões, argentinos ganham espaço no Palmeiras

Cristaldo, Allione e Mouche estão sendo mais aproveitados

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

05 de novembro de 2015 | 11h15

Tobio, Allione, Mouche e Cristaldo foram contratados pelo Palmeiras em 2014 por indicação do técnico Ricardo Gareca. Desde que chegaram ao clube, eles não conseguiram se firmar e tiveram poucos momentos em que viveram boa fase. Entretanto, isso parece estar mudando. Tobio foi emprestado para o Boca Juniors, onde acabou de ser campeão argentino, enquanto os outros três ganham cada vez mais espaço no time alviverde.

Allione e Mouche têm caminhos parecidos no Palmeiras. Ambos sofreram graves lesões e quase deixaram o clube para conseguir ter espaço e jogar. Allione estava na mira de clubes argentinos, mas a diretoria palmeirense resolveu segurá-lo e hoje ele é uma espécie de 12º jogador de Marcelo Oliveira. Inclusive, deve ser titular no domingo, no lugar de Dudu, suspenso.

Já Mouche teve menos oportunidades, mas quando jogou, conseguiu mostrar serviço. O jogador também é cobiçado por clubes do exterior e tem grandes chances de sair no fim do ano, mas ainda espera conseguir mostrar que merece ter mais oportunidade e, assim, mudar de ideia e resolver permanecer no clube para a próxima temporada.

Quem tem sido mais aproveitado e tem aproveitado bem é Cristaldo. Um dos artilheiros da equipe na temporada, ele teve um período em que foi titular no ataque alviverde e atualmente aparece como primeira opção no lugar de Barrios, deixando Alecsandro para trás. No domingo, o argentino será desfalque por ter sido expulso contra o Santos.

Em relação a Tobio, o defensor argentino ainda permanecerá no Boca Juniors até o meio do ano que vem. Inicialmente, existe o interesse em seu retorno e também não está descartada a possibilidade dele ser negociado.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.