Celio Messias/Estadão
Celio Messias/Estadão

Após decepção com Pottker, Corinthians vence a Caldense e avança na Copa do Brasil

Rodriguinho marca e garante a classificação para a segunda fase

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

08 Fevereiro 2017 | 23h40

Em um dia que parecia tudo dar errado, com quase escalação irregular e a desistência da contratação de reforço, o Corinthians conseguiu, pelo menos em campo, ter motivo para sorrir. Apesar do placar magro de 1 a 0, o time alvinegro derrotou a Caldense sem sustos e avança na Copa do Brasil. O adversário sairá do confronto entre Brusque-SC e Remo, que se enfrentam na quinta-feira que vem. 

O dia não começou muito bom para os corintianos. Horas antes de iniciar a partida contra a Caldense, o clube descobriu que não poderia escalar Moisés por um motivo inusitado: ele estava suspenso. O lateral-esquerdo foi expulso no ano passado, quando atuava no Bahia, pegou três jogos de suspensão, cumpriu um e o clube baiano conseguiu um efeito suspensivo que não estava mais em vigor. Assim, ele teria que cumprir as outras duas partidas de gancho, mas o Corinthians não sabia. 

Após ser informado do “quase erro” que poderia custar uma eliminação do torneio, o técnico Fábio Carille precisou improvisar. Como não tinha outro lateral-esquerdo no elenco - Guilherme Arana está com a seleção sub-20 - ele teve que improvisar o volante Marciel. 

As notícias ruins não pararam por aí. A Ponte Preta escalou William Pottker e frustrou os corintianos, que não poderiam contar com o atacante na Copa do Brasil (leia mais ao lado). Irritados, os dirigentes corintianos desistiram da contratação do jogador. A torcida do Caldense não perdoou e ironizou os corintianos com outro assunto que ainda incomoda: “Oh Drogba, cadê você, eu vim aqui só para te ver”. 

Com a bola rolando, as deficiências da equipe ficaram mais evidentes. O time teve mais qualidade e toque de bola em comparação ao jogo com o São Bento e os amistosos de pré-temporada. Faltou maior variação de jogadas para superar a retrancada adversária. Sem muita criatividade, a bola pouco chegava em Jô. Sem muita criatividade no ataque, o jeito foi apostar no cruzamento. 

Jô protegeu na área, passou para Fagner, que jogou na área e Rodriguinho desviou de cabeça, aos 39 minutos do primeiro tempo. Justamente na noite em que “perdeu um reforço”, o jogador que tem futuro indefinido no clube fez a diferença. Rodriguinho tem contrato até o fim do ano e quis ser negociado com o Fenerbahçe, enquanto o Corinthians não o liberou e tenta renovar seu contrato.

No segundo tempo, o domínio corintiano continuou até por volta dos 30 minutos, quando o time pareceu demonstrar cansaço, a Caldense passou a ter mais a bola no pé, mas sem grandes sustos. Enfim, após um dia sem muitas alegrias, o corintiano pôde dormir classificado. 

FICHA TÉCNICA

CALDENSE (4-4-2): Neguett; Alexandre Lazarini, Marcelo, Hélio e Rafael Estevam; Thiago Carpini (César), Álvaro, Anderson (Cristiano) e Ewerton Maradona (Edu); Zambi e Luiz Eduardo

Técnico: Thiago Oliveira.

CORINTHIANS (4-5-1): Cássio; Fagner, Pablo, Balbuena e Marciel; Gabriel, Fellipe Bastos (Camacho), Rodriguinho (Guilherme), Marlone e Giovanni Augusto (Marquinhos Gabriel); Jô

Técnico: Fábio Carille.

Gol: Rodriguinho, aos 39 minutos do 1º Tempo

Cartões amarelos: Fellipe Bastos, Thiago Carpini, Álvaro e Cristiano

Juiz: Bruno Arleu de Araujo (RJ)

Público: 7.536 pagantes

Renda: R$ 490.880,00

Local: Ronaldo Junqueira, em Poços de Caldas (MG)

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.