Gilvan De Souza / Flamengo
Gilvan De Souza / Flamengo

Após decepções, Flamengo reencontra um embalado Botafogo pela Taça Rio

Equipes se enfrentaram três semanas atrás na semifinal da Taça Guanabara, vencida pelo rubro-negro

Estadão Conteúdo

03 Março 2018 | 07h34

Três semanas depois de o Flamengo derrotar o Botafogo na semifinal da Taça Guanabara e provocar uma crise na equipe alvinegra - com direito à demissão de técnico -, as duas equipes voltam a se enfrentar pelo Campeonato Carioca neste sábado, às 17 horas, no Engenhão.

+ Confira a tabela da Taça Rio

Jonas rebate provocações ao Flamengo e projeta reabilitação contra o Botafogo

+ Valentim repete time, mas promete novos ingredientes em clássico

O momento dos dois times agora é outro. Enquanto o Botafogo vem de duas vitórias seguidas na Taça Rio, o segundo turno da competiçãon estadual, o Flamengo tenta se recuperar da goleada por 4 a 0 sofrida diante do Fluminense no domingo passado, e do empate (frustrante) com o River Plate, pela Libertadores, no meio de semana.

Apesar de o jogo ser no Engenhão, o mando de campo é do Flamengo - o estádio Luso Brasileiro está sem liberação para receber público e o Maracanã segue fechado. E o time que irá para a partida é uma incógnita, já que o técnico Paulo Cesar Carpegiani fechou a maior parte do último treino antes do jogo e não revelou o time.

A tendência, contudo, é de praticamente força máxima. Isso porque o Flamengo não terá jogo pela Libertadores na próxima semana e o time quer afastar as más exibições dos últimos jogos. "Em todos os jogos temos que entrar alertas. Sabemos a grandeza do clássico e não podemos errar. Erros custam caro e vamos em busca dessa vitória", disse o volante Jonas.

O jogador também rebateu declarações vindas do Botafogo, que querem fazer do clássico uma revanche da semifinal da Taça Guanabara, o primeiro turno do Carioca, no qual os flamenguistas eliminaram o rival com uma vitória por 3 a 1. "Do lado de lá podem falar o que quiserem. Temos que manter a cautela e a responsabilidade para conquistarmos um resultado positivo", comentou.

Pelo lado do Botafogo, o bom momento é visto com cautela para o clássico. "É difícil prever alguma coisa. Todos acompanharam o jogo (com o River Plate), foi duro para eles e contra um time muito tradicional", disse o meia João Paulo. "Temos que nos preparar independentemente de quem estará entre os onze do outro lado."

Para ele, o fato de o jogo ser no Engenhão é uma pequena vantagem para o Botafogo. "Ganhamos por conhecer o campo, estamos acostumados em jogar na nossa casa", disse. "Mas sabemos que esse fator casa não influencia no resultado. É um jogo aberto e clássico se decide no gramado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.