Após defender seleção, Dalton e Maicon reforçam o Flu

Depois de defender a seleção brasileira no Mundial Sub-20, o zagueiro Dalton e o atacante Maicon retornam aos treinos nesta segunda-feira no Fluminense. Inscritos na Copa Sul-Americana, os dois jogadores poderão ser relacionados pelo técnico Cuca para o primeiro jogo das quartas de final da competição, contra o Universidad do Chile, na quinta-feira, às 21h50, no Maracanã.

AE, Agencia Estado

19 de outubro de 2009 | 10h17

Passado o Mundial, os dois jogadores tentarão ajudar o Fluminense também a deixar a zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro, no qual o time segue na última posição. Autor de dois gols na semifinal contra a Alemanha na competição realizada no Egito, Maicon acabou perdendo um pênalti na disputa decisiva contra Gana, na final, mas volta a defender o time carioca com a sensação de dever cumprido.

"O momento mais especial foi o gol de empate (contra a Alemanha). O treinador disse que confiava em mim. O preparador de goleiros Paulo Ruy também disse antes da prorrogação que eu decidiria o jogo e isso acabou acontecendo. Agora é bola para frente e estou pronto para ajudar o Fluminense", disse Maicon.

Dalton também voltou do Egito com o mesmo discurso. "Mesmo não sendo campeão foi muito bom participar do Mundial e acho que foi proveitoso para a minha carreira. Acho que fiz um bom Mundial e com certeza honramos o povo brasileiro", disse.

Já o técnico Cuca segue fazendo contas contra o rebaixamento no Brasileirão, apesar de o próximo desafio ser um duelo pela Copa Sul-Americana. O treinador aprovou a atuação da sua equipe no empate por 2 a 2 com o Internacional, no Maracanã, no último domingo, mas lamentou o resultado.

"Foi ruim porque deixamos de somar dois pontos importantes em casa. Não merecíamos esse resultado, o time fez uma das melhores partidas no Brasileiro, permanecendo sempre no ataque. Alguns falam em 46 pontos para se livrar do rebaixamento, mas, dependendo dos outros times, pode ser que alguém se livre com 41", analisou.

"Somamos oito pontos em cinco jogos e não vamos jogar a toalha. Temos que ter cabeça fria e analisar os fatos. Ainda precisamos evoluir e temos também que ter mais sorte", reforçou Cuca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.