Daniel Dal Zennaro/ EFE
Daniel Dal Zennaro/ EFE

Após deixar o Orlando City, Kaká anuncia aposentadoria do futebol

Craque deixa os gramados após 16 anos como jogador profissional

O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2017 | 13h38

O meia Kaká anunciou neste domingo sua aposentadoria como jogador profissional de futebol. Após declarar que não iria renovar com o Orlando City, time que defendeu nos Estados Unidos, o atleta deixou em aberto seu futuro no esporte. No entanto, em entrevista à TV Globo, Kaká revelou oficialmente seu desligamento dos gramados.

+ Kaká passa carreira a limpo: 'Conquistei mais do que podia imaginar'

"A minha palavra final é que o ciclo da minha carreira como jogador profissional se encerra aqui", disse Kaká, anunciando oficialmente sua aposentadoria.

Com três Copas do Mundo no currículo e um prêmio de melhor jogador do mundo em 2007, Kaká, aos 35 anos, diz que não será mais jogador, mas que planeja seu futuro trabalhando nos bastidores do futebol como gestor.

O meia foi revelado pelo São Paulo, onde realizou sua primeira partida como profissional em 2001. Foi vendido para o Milan, da Itália, em 2003, onde ganhou reconhecimento mundial, conquistou a Liga dos Campeões na temporada 2006/2007 e ficou até 2009, quando transferiu-se para o Real Madrid.

Não conseguiu regularidade na Espanha, período em que passou por algumas lesões. Foi emprestado para o Milan em 2013 e no ano seguinte assinou com o Orlando City, onde ficou até este ano com breve passagem pelo São Paulo por empréstimo em 2014.

Ao anunciar que não iria renovar com o Orlando City após o fim da temporada nos Estados Unidos, Kaká cogitou retornar ao Brasil para jogar pelo São Paulo. Contudo, o meia revelou que precisava de um tempo para refletir e avaliar suas condições físicas, entre outros fatores.

"Eu precisava de um tempo para pensar e tomar uma decisão muito tranquila, muito calma e muito consciente do que eu gostaria para minha vida profissional", explicou Kaká. "E estudando, vendo o que acontecia nesse momento, propostas. Eu fui para a Europa para ver alguns jogos, sentir a emoção do jogo ali, onde o futebol realmente tem seu ponto máximo. E muito consciente eu cheguei à conclusão que é o momento de encerrar a minha carreira como jogador profissional", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.