Athletico Paranaense/Site Oficial
Athletico Paranaense/Site Oficial

Após deixar o Santos, Léo Cittadini é oficializado pelo Athletico-PR

Jogador estava livre no mercado e assinou contrato até dezembro de 2021

Redação, Estadão Conteúdo

15 Janeiro 2019 | 10h21

Léo Cittadini é o novo reforço do Athletico Paranaense para a temporada 2019, ano em que o time voltará a disputar a Copa Libertadores. Livre no mercado após o fim do seu contrato com o Santos, o jogador foi oficializado como jogador do clube, tendo assinado um contrato válido até dezembro de 2021.

"Vi como uma oportunidade muito boa para mim, pela estrutura do clube, por tudo que representa no Brasil e pelos campeonatos que vai disputar. Isso tudo me motivou muito para vir para cá", afirmou o meio-campista ao site oficial do Athletico-PR.

Antes de Léo Cittadini, o clube paranaense já havia contratado outro jogador que ficou sem vínculo com o Santos nos últimos meses, caso do zagueiro Robson Bambu, que inicialmente vai defender o time de aspirantes, que participará do Estadual. Já o meio-campista reforça o elenco principal, que disputará a Libertadores, a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro, além das decisões da Recopa Sul-Americana e da Copa Suruga Bank, no Japão.

Contratado para o time de juniores do Santos após passagem pelo Guarani, Léo Cittadini fez parte do grupo que conquistou o título da Copa São Paulo em 2013. O meio-campista viveu o seu melhor momento no clube no primeiro semestre de 2018, quando adquiriu status de titular com o técnico Jair Ventura.

Naquele momento, ele atuava como segundo volante, função para a qual foi adaptado por outro treinador, Dorival Júnior, após iniciar a sua carreira como meia. As lesões, porém, foram um fator que atrapalharam a sua continuidade no time. E com o impasse sobre a sua renovação de contrato, ele atuou pela última vez no Santos em agosto de 2018 - no total, foram 81 jogos, com dois gols marcados.

Agora de clube novo, Léo Cittadini já vive a expectativa de voltar a disputar a Libertadores, agora pelo Athletico-PR. "É um campeonato muito difícil. Tive a oportunidade de disputar duas vezes e sei o quão difícil é esse torneio. O Athletico foi campeão da Sul-Americana e entra muito forte para disputar essa Libertadores. É um grupo difícil, mas temos tudo para fazer uma boa fase e seguir para conquistar o título também", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.