Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Após deixar treino, Marcos nega insatisfação com o time

'Eu estava gritando com os companheiros para poder acertar o posicionamento da equipe', afirma o goleiro

AE, Agencia Estado

22 de março de 2010 | 21h33

Para os jornalistas que estavam presentes nesta segunda-feira ao treino do Palmeiras, na Academia de Futebol, ficou claro que Marcos abandonou a atividade ao se irritar com a atitude de seus companheiros, que não vinham fazendo a marcação como queria o goleiro. Mas o próprio ídolo palmeirense negou depois que tenha deixado o treinamento por nervosismo.  

 

Veja também:

blog BLOG BATE-PRONTO - Marcos precisa passar por tanto aborrecimento?

linkÁfrica do Sul enfrenta Palmeiras e Santos

linkDerrota do Corinthians reacende esperança no Palmeiras

"Eu estava gritando com os companheiros para poder acertar o posicionamento da equipe", alegou Marcos, aproveitando para reclamar da repercussão negativa do fato. "Eu sempre me comporto assim nos treinamentos. Isso é de treino, não sou só eu que faço isso. O problema é que tudo o que eu falo vira notícia", disse, admitindo que falou palavrões.

Sobre o motivo de ter abandonado o treino, Marcos reforçou o que a comissão técnica e os jogadores já vinham afirmando. "Eu estava reclamando porque como eu poderia treinar com essa m... (dor)?", explicou o goleiro, que teria deixado a atividade porque sentiu dores na virilha, versão endossada depois pelo técnico Antônio Carlos em entrevista ao canal SporTV.

NOVIDADES

Além da polêmica envolvendo Marcos, o treino desta segunda também marcou o retorno do meia Lincoln, que foi poupado no último jogo, e a primeira atividade do lateral-direito Victor no clube. O jogador, recém-contratado do Goiás, só fará sua estreia pelo Campeonato Brasileiro - as inscrições para o Paulistão se encerraram e ele já atuou pelo time goiano na Copa do Brasil.

Já no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) de São Paulo, o Palmeiras conseguiu uma vitória com a absolvição do zagueiro Léo pela sua expulsão no clássico contra o Santos. Assim, ele está livre para atuar nesta quarta, contra o Rio Branco, em Araraquara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.