Pascal Pavani / AFP
Pascal Pavani / AFP

Após demitir Henry, Monaco perde mais uma e segue em crise no Francês

Comandado pelo auxiliar Franck Passi antes de Leonardo Jardim reassumir, time foi derrotado pelo Dijon por 2 a 0

Redação, Estadão Conteúdo

26 Janeiro 2019 | 20h05

Entra técnico, sai técnico, e o Monaco permanece em crise. Neste sábado, o time monegasco, que demitiu Thierry Henry e trouxe de volta o português Leonardo Jardim, foi derrotado fora de casa pelo Dijon por 2 a 0 e segue seu calvário no Campeonato Francês.

Sem Henry, que assumiu o comando do clube do principado em outubro de 2018 e foi desligado oficialmente das funções de treinador na sexta depois de ter sido afastado do cargo, e como Jardim foi anunciado no mesmo dia, o auxiliar Franck Passi comandou o time interinamente diante do Dijon.

Passi nada pôde fazer e viu o time levar dois gols, um em cada tempo, e ainda ter o zagueiro Naldo expulso no começo do segundo tempo. Contratado no início de janeiro para dar solidez e experiência à zaga, o brasileiro acumula sua segunda expulsão em três semanas.

O Dijon, por sua vez, encerrou uma série de quatro jogos sem triunfar com a vitória construída com gols do sul-coreano Kwon Chang-Hoon e do tunisiano Naim Sliti e abriu certa distância da zona de rebaixamento, pulando da 18ª para a 16ª colocação, agora com 20 pontos.

Nos outros duelos pela 22ª rodada neste sábado, o lanterna Guingamp foi derrotado por 1 a 0 pelo Reims, mesmo placar do triunfo do Strasbourg sobre o Bordeaux. Já o Nice superou o Nîmes em casa pelo placar de 2 a 0.

Quatro jogos fecham a rodada no domingo. Destaque para o líder Paris Saint-Germain, que, sem Neymar, lesionado, recebe o Rennes no Parque dos Príncipes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.