Após derrota do City para o Tottenham, briga por título está perto do fim

As pequenas esperanças do Manchester City defender o título do Campeonato Inglês estão quase extintas após a derrota por 3 x 1 para o Tottenham, em White Hart Lane, neste domingo.

Reuters

21 de abril de 2013 | 14h49

Vencendo por 1 x 0 com o gol de Samir Nasri a 15 minutos do fim, parecia que o City prolongaria a briga pelo título por mais uma semana, mas o Tottenham marcou três vezes em sete minutos e continua na briga pelas quatro primeiras posições.

A cinco jogos do final do campeonato, o City está 13 pontos atrás do Manchester United, que vai conquistar seu vigésimo título inglês se vencer o Aston Villa, ameaçado de rebaixamento, em casa, na segunda-feira.

Clint Dempsey empatou para os Spurs aos 30 minutos do segundo tempo, e o substituto Jermain Defoe marcou o gol da virada com uma bola cheia de efeito.

Gareth Bale, aos 37 minutos, completou a virada dos anfitriões, que estão com 61 pontos, mesmo número do quarto colocado Chelsea, que ainda enfrenta o Liverpool neste domingo. O terceiro colocado Arsenal, que jogou uma partida a mais que os Spurs, tem 63 pontos.

O técnico do City, Roberto Mancini, está intrigado com a derrota, mas disse que a briga pelo título havia acabado "três ou quatro semanas atrás".

"Durante 80 minutos, não concedemos nenhuma oportunidade e tivemos duas ou três chances de marcar, estava tudo controlado", disse ele a jornalistas. "Perdemos por causa de dois grandes erros".

Mesmo o treinador adversário, André Villas-Boas, admitiu que a derrota parecia o resultado mais provável.

"No segundo tempo, encontramos nosso ritmo", disse. "A chave foi conseguirmos marcar o primeiro gol. Ganhamos inspiração e confiança e as emoções no estádio mudaram e ajudaram nosso time."

Durante quase toda a tarde, o City pareceu confortável contra um Tottenham que demorou para engrenar na temporada, mas recuou muito depois do intervalo e foi punido com o retorno do Tottenham.

Os dois lados precisavam vencer por razões diferentes, embora o Tottenham necessitasse mais do resultado, porque o título já estava longe das mãos do time de Mancini, que está na final da Copa da Inglaterra, salvo um colapso do United.

Tottenham teve o retorno de Gareth Bale, recuperado de uma lesão no tornozelo e no centro das ações da partida. A torcida da casa ficou em silêncio quando o City tomou a liderança.

Carlos Tevez foi bem segurando a bola no lado direito e chamando a atenção de dois defensores do Tottenham. Ele passou para James Milner, cujo cruzamento rasteiro passou por Hugo Lloris após a finalização de Nasri, ex-jogador do Arsenal.

O Tottenham respondeu com Kyle Walker, que desperdiçou a oportunidade ao completar um bonito passe de Dempsey. O lateral direito escapou de uma séria lesão em uma entrada de Nasri que não foi punida.

Nasri esteve a centímetros de fazer 2 x 0 para o City, enquanto Lloris também salvou seu time ao defender uma cabeçada de Tevez.

O Tottenham teve mais posse de bola depois do intervalo, mas, com Emmanuel Adebayor inoperante no ataque, uma virada parecia improvável, até o técnico Villas-Boas fazer substituições.

Com o tempo se esgotando, um momento de hesitação de Vincent Kompany permitiu que Dempsey completasse o cruzamento rasteiro de Bale.

Animado, o Tottenham já ficou à frente quatro minutos depois, quando Lewis Holtby deu um passe em diagonal para Defoe, na esquerda. O atacante inglês cortou para o meio e acertou um chute de direita.

Três minutos depois, Tom Huddlestone, outro substituto, acionou Bale, que bateu por cobertura para concluir uma vitória admirável.

(Por Martyn Herman)

Tudo o que sabemos sobre:
FUTINGLESCITYTOTTENHAM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.