Mohammed Badra/Reuters
Mohammed Badra/Reuters

Após derrota do PSG, Paris tem briga entre torcedores e policiais; 148 são presos

Houve registro de saques em lojas de luxo e carros foram queimados

Redação, Estadão Conteúdo

24 de agosto de 2020 | 10h41

A derrota do Paris Saint-Germain para o Bayern de Munique na decisão da Liga dos Campeões da Europa, disputada neste domingo em Lisboa, não foi bem aceita por parte dos torcedores do clube francês. De acordo com a polícia de Paris, 148 pessoas foram detidas após vários distúrbios pelas ruas da cidade após a partida na capital de Portugal.

O local mais afetado foi a tradicional avenida Champs-Elysees, que já tinha sido palco de incidentes parecidos na semana passada durante os festejos do Paris Saint-Germain pela vitória sobre o RB Leipzig, da Alemanha, na semifinal. Nos arredores do estádio Parque dos Príncipes também aconteceram prisões e brigas.

A fim de dispensar a multidão enfurecida, as autoridades policiais precisaram usar gás lacrimogêneo para fazer com que os torcedores começassem a deixar as vias. Antes disso, foram registrados saques em lojas de luxo e até mesmo carros foram queimados, ocasionando grandes sustos na população. Os confrontos foram entre os Ultras (torcidas organizadas) e policiais.

"A selvageria de certos delinquentes da noite passada: 16 membros das forças policiais feridos, 12 lojas atacadas, cerca de 15 carros vandalizados", informou o ministro do Interior francês, Gerald Darmanin, em suas redes sociais. "Obrigado às forças de segurança que atualmente realizam intervenções e prisões de pequenos grupos violentos, desordeiros".

Em campo, o Paris Saint-Germain foi derrotado pelo Bayern de Munique por 1 a 0 - com gol de Coman, ex-jogador do time francês, aos 13 minutos do segundo tempo. Vale ressaltar que essa foi a primeira final de Liga dos Campeões da Europa disputada pelo PSG em 50 anos de vida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.