Divulgação/FERJ
Divulgação/FERJ

Após derrota, Fluminense quer exoneração de chefe da arbitragem do Rio

Clube classifica como 'parcial' o comentário de Jorge Rabello a respeito da arbitragem no clássico

AE, Agência Estado

13 de fevereiro de 2012 | 19h19

RIO - O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, anunciou por meio de nota que vai encaminhar nesta terça à Federação de Futebol do Rio (FFERJ) uma representação pedindo a exoneração do presidente da comissão de arbitragem da entidade, Jorge Rabello. O dirigente tricolor classificou como "parcial" o comentário de Rabello a respeito da arbitragem de Antonio Schneider no clássico de domingo, vencido pelo Vasco, por 2 a 1.

"Eles reclamam de arbitragem porque é melhor falar sobre isso. Por que não explicam que o Fluminense não vem jogando nada?", disse Rabello. "Por que com uma folha salarial de R$ 7 milhões empata com o Duque de Caxias, que tem uma folha de R$ 100 mil? Por que o Fluminense é sempre dominado no segundo tempo?", indagou.

Na nota, o presidente do clube afirma que "caso o pedido (de exoneração) não seja atendido, o Fluminense irá a todas as instâncias da Justiça Desportiva e, se necessário, da Justiça Comum, para vê-lo (Rabello) fora da Comissão de Arbitragem".

Nesta segunda, na reapresentação do elenco, o único ausente foi o atacante Fred, expulso contra o Vasco, liberado para resolver problemas particulares. O time enfrenta o Americano, quarta, e precisa da vitória para continuar com chance de classificação às semifinais da Taça Guanabara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.