Mailson Santana / Fluminense FC
Mailson Santana / Fluminense FC

Após derrota, jogadores do Fluminense reconhecem que erraram demais em Goiânia

Felippe Cardoso cita problemas no passe e Nenê critica pênalti marcado para o Atlético Goianiense

Redação, Estadão Conteúdo

17 de dezembro de 2020 | 00h31

Em uma noite em que quase nada deu certo, coube aos jogadores do Fluminense reconhecerem que não jogaram bem na derrota para o Atlético-GO, por 2 a 1, nesta quarta-feira, em Goiânia pela 26.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Vários deles tiveram avaliações parecidas.

Para Felippe Cardoso, que marcou o gol do time nos acréscimos do segundo tempo, o principal problema foram os passes errados. "Acho que faltou caprichar no último passe para chegarmos em condições de finalizar".

Mas, segundo ele, o técnico Marcão tinha alertado sobre as dificuldades deste jogo. "Nós sabíamos que este jogo seria difícil, principalmente pela intensidade que o time deles imprime aqui em casa. Sem o último passe nós não conseguimos reagir e evitar a derrota".

Para o lateral Danilo Barcelos, o time errou muito, principalmente no primeiro tempo. "Não marcamos bem, erramos passes e demos espaço para o adversário".

O meia Nenê não entendeu a marcação do pênalti que resultou no segundo gol goiano aos 42 minutos da etapa final. Após um escanteio, a bola tocou em seu braço, mas o jogo aparentemente iria continuar. Tanto que ele, naquela atura, estava sendo substituído por Paulo Henrique Ganso. Quando ganhava fôlego no banco é que viu o árbitro Rodrigo Dalonso Ferreira marcar o pênalti após a consulta ao VAR. "Sinceramente, a bola tocou no meu braço, mas não houve nenhuma intenção. Acho que isso não é pênalti", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.