Pius Utomi Ekpei/AFP
Pius Utomi Ekpei/AFP

Após derrota na estreia, técnico da Nigéria cobra vitória sobre a Islândia

Gernot Rohr quer que equipe se recupere de derrota na estreia diante da Croácia

Estadão Conteúdo

20 Junho 2018 | 14h54

O técnico Gernot Rohr trata a próxima partida da Nigéria na Copa do Mundo como uma decisão. De acordo com o treinador alemão, é essencial que a seleção comandada por ele consiga vencer a Islândia na próxima rodada do Grupo D, em jogo marcado para o meio-dia (de Brasília) desta sexta-feira, em Volgogrado.

+ Atacante diz que Nigéria superou revés e prevê duelo 'diferente' contra a Islândia

+ Autor de gol contra da Nigéria, volante Etebo retoma confiança: "Cabeça erguida"

+ Islândia presta homenagem a goleiro da Nigéria diagnosticado com leucemia

"Precisamos ganhar da Islândia. Se formos capazes disso, teremos todas as possibilidades de chegar à classificação do nosso grupo, que é o mais forte do Mundial, na minha opinião", disse o técnico em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, em Volgogrado.

Rohr não acha que a Nigéria fez uma estreia ruim no torneio, no sábado, quando perdeu por 2 a 0, em Kaliningrado. "Croácia tem um dos melhores meios de campo do mundo. Se você leva isso em consideração, nossa organização não estava tão ruim. Abriram o placar com um gol contra e só foram chutar no gol de novo aos 26 minutos do segundo tempo, via cobrança de pênalti. Precisamos ficar calmos e focados para a próxima partida", receitou o treinador alemão.

 

O técnico também defendeu o posicionamento em campo do capitão da equipe, John Obi Mikel, conhecido pela característica defensiva no meio-campo, mas escalado para armar a equipe no esquema de Rohr. "Ele joga assim na seleção desde que eu cheguei há dois anos e sempre atuou muito bem como meia ofensivo. O time foi armado em função dele", explicou.

Depois do jogo contra a Islândia, a Nigéria terá de enfrentar a Argentina na última rodada da primeira fase. O jogo vai ser disputado às 15 horas (de Brasília) da próxima terça-feira, em São Petersburgo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.