Maílson Santana/Fluminense FC
Maílson Santana/Fluminense FC

Após derrota na Vila, Fluminense espera ter Gum em 'decisão' na Sul-Americana

Marcelo Oliveira elogia atletas que participaram do revés por 3 a 0 na Vila Belmiro neste sábado

Estadão Conteúdo

28 Outubro 2018 | 09h14

O Fluminense visitou o Santos no sábado, segurou o adversário durante boa parte do confronto, mas sofreu três gols em cinco minutos e acabou derrotado por 3 a 0, pelo Campeonato Brasileiro. Após a partida, as atenções imediatamente se voltaram para a decisão nas quartas de final da Copa Sul-Americana, contra o Nacional, do Uruguai.

Foi justamente por causa da partida que acontecerá quarta-feira, em Montevidéu, que o técnico Marcelo Oliveira escalou um time reserva na Vila Belmiro. Um dos desfalques, porém, aconteceu também por necessidade. O zagueiro Gum deixou a partida de ida contra os uruguaios - empate por 1 a 1 na quarta passada, no Engenhão - com uma lesão no joelho direito.

Agora, Marcelo espera pela evolução do zagueiro para saber se contará com ele na volta. "A primeira informação que temos é que as coisas estão correndo bem. Temos que ver ele e o Léo no treinamento. Seria importante poder contra com o Gum, que é um zagueiro experiente de ótima bola parada e que pode nos ajudar muito em uma partida como essa", declarou.

O treinador tricolor também fez questão de exaltar o desempenho de seus comandados diante do Santos. Afinal, apesar da derrota, os reservas do Fluminense controlaram o ímpeto ofensivo do adversário até os 38 minutos do segundo tempo, quando começou a arrancada dos donos da casa.

"Nós tentamos cumprir nossa estratégia, era um risco programado colocar em campo uma equipe que não vinha jogando e aguentamos bem a maior parte do tempo. O Santos acabou chegando mais no segundo tempo do que no primeiro, não conseguimos fazer os contra-ataques como nós queríamos e aí teve o pênalti. Tivemos a dificuldade de jogadores que saíram com desgaste físico, que não vem jogando e sentiram a falta de ritmo. Lamentamos a derrota, mas enaltecemos a entrega e a luta desses jogadores que entraram em campo", comentou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.