Alex Silva/ Estadão
Alex Silva/ Estadão

Palmeiras vê 'missão cumprida' e encerra briga por final do Paulista

Clube se diz satisfeito por promover discussão sobre a arbitragem e garante que não vai recorrer a tribunais internacionais

O Estado de S.Paulo

19 Setembro 2018 | 16h44

O Palmeiras garantiu na tarde desta quarta-feira que não vai mais brigar para tentar impugnar a final do Campeonato Paulista, vencida pelo Corinthians em abril deste ano. Depois de mais cinco meses de batalhas jurídicas, a derrota no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) em decisão unânime levou o clube a se considerar satisfeito com o caso e prometer que não vai mais recorrer.

Em nota oficial, a diretoria do clube afirma que ao juntar provas como imagens e documentos, conseguiu contribuir para a evolução no futebol brasileiro, principalmente para melhorar a utilização de recursos para a arbitragem, como o auxílio de vídeo, a ser implantado no Campeonato Paulista do ano que vem e já está em uso em fases decisivas da Copa do Brasil e da Copa Libertadores.

"Tudo o que foi demonstrado pelo Palmeiras foi referendado pela opinião pública e pela mídia especializada e, graças a essa movimentação do clube, algumas atitudes foram tomadas no sentido da evolução no futebol brasileiro", diz o Palmeiras em nota oficial. "A Sociedade Esportiva Palmeiras espera que esse caminho de evolução não tenha mais volta no futebol brasileiro. O clube seguirá, por sua vez, sempre batalhando", comenta o texto.

Depois de tentar impugnar a final do Campeonato Paulista tanto no âmbito estadual como no nacional, a diretoria descarta acionar esferas internacionais, como a Corte Arbitral do Esporte (CAS), na Suíça. "Para este caso específico, consideramos nossa missão cumprida e, por isso, não daremos sequência a novos recursos", diz o clube.

O Palmeiras tentou desde abril conseguir nos tribunais a anulação da final. O clube sustenta que o árbitro Marcelo Aparecido de Souza recebeu comunicação externa durante a decisão do Paulista para voltar atrás e cancelar um pênalti de Ralf em Dudu, no segundo tempo. A diretoria chegou a preparar um dossiê com imagens e conteúdo produzido por uma empresa americana especializada em inteligência, a Kroll, para embasar as reclamações.

A diretoria entende que conseguiu comprovar a irregularidade, porém lamentou não ter convencido os tribunais. "A Sociedade Esportiva Palmeiras entende que deu sua contribuição ao demonstrar, de maneira inequívoca, a interferência externa na atuação da arbitragem na final do Campeonato Paulista deste ano", diz a nota.

Confira a nota oficial na íntegra:

A Sociedade Esportiva Palmeiras entende que deu sua contribuição ao demonstrar, de maneira inequívoca, a interferência externa na atuação da arbitragem na final do Campeonato Paulista deste ano. Após um processo de investigação extremamente minucioso, o Palmeiras comprovou que houve comunicação não permitida pelo regulamento com os árbitros.

Infelizmente, os tribunais esportivos brasileiros não entendem que a série de fatos apresentados constitui prova suficiente para anulação de uma partida de futebol, o que lamentamos.

Porém, tudo o que foi demonstrado pelo Palmeiras foi referendado pela opinião pública e pela mídia especializada e, graças a essa movimentação do clube, algumas atitudes foram tomadas no sentido da evolução no futebol brasileiro.

A CBF, que não introduziu o uso do VAR no Campeonato Brasileiro porque não teve a votação suficiente dos clubes, determinou sua utilização a partir das quartas de final da Copa do Brasil. O Palmeiras foi o único clube do Estado de São Paulo que votou a favor do uso da tecnologia e seguiu fazendo gestões junto à CBF para que a ideia não fosse arquivada.

Até a FPF, após as evidências levantadas pelo Palmeiras, decidiu adiantar o uso do VAR, e o Campeonato Paulista de 2019 também terá a utilização desta tecnologia a partir das quartas de final, o que, esperamos, ajude a diminuir as questões duvidosas e traga legitimidade à tecnologia no auxílio à arbitragem. 

Ainda há espaço para mais avanços. Por isso, o Palmeiras segue sugerindo a disponibilização das gravações das comunicações entre os árbitros e a reciclagem e renovação do comando do Departamento de Arbitragem da Federação Paulista de Futebol.

A Sociedade Esportiva Palmeiras espera que esse caminho de evolução não tenha mais volta no futebol brasileiro. O clube seguirá, por sua vez, sempre batalhando e à frente de posturas que contribuam para o desenvolvimento do esporte nacional. 

Para este caso específico, consideramos nossa missão cumprida e, por isso, não daremos sequência a novos recursos. 

Sociedade Esportiva Palmeiras

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.