Após derrota, treinador é demitido da seleção do Chile

O técnico argentino Claudio Borghi não é mais o treinador da seleção do Chile. Nesta quarta-feira, logo após a derrota no amistoso contra a Sérvia por 3 a 1, na cidade suíça de St. Gallen, a direção da Associação Nacional de Futebol Profissional (ANFP) decidiu demitir o treinador por causa dos maus resultados recentes da equipe - cinco derrotas consecutivas.

AE, Agência Estado

14 de novembro de 2012 | 21h25

"Fui demitido. Depois destas partidas, o balanço não é bom. Há alguns minutos me reuni com duas pessoas da direção. A partir deste momento, depois de não jogar bem, deixo de ser o treinador do Chile", afirmou Borghi, logo após a derrota para os sérvios - as outras quatro foram para Equador (em amistoso), Colômbia, novamente Equador e Argentina, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014.

O treinador havia assumido o comando da seleção chilena no final de 2010. Seu principal objetivo era classificar o país para o Mundial que será realizado no Brasil. No entanto, a má campanha deixa o Chile na sexta colocação, com 12 pontos, após 10 rodadas. Neste momento, fora da Copa. "A partir de hoje (quarta) os dirigentes têm tempo suficiente para buscar outro técnico", finalizou Borghi.

Especulações no Chile, antes mesmo da demissão de Claudio Borghi, já dão conta de que Jorge Sampaoli, atual técnico da Universidad de Chile (campeão da Copa Sul-Americana), será convidado para o cargo. O próximo compromisso chileno será o duelo contra o Peru, em Lima, no dia 22 de março de 2013, pela 11.ª rodada das Eliminatórias.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolChiletécnicodemissão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.