Após desculpas, Ballack continua capitão da Alemanha

Jogador se arrepende publicamente das críticas feitas ao trabalho do técnico Joachim Low e encerra polêmica

Reuters

31 de outubro de 2008 | 18h32

O meia Michael Ballack continuará sendo o capitão da seleção alemã de futebol depois de se desculpar pelas críticas públicas ao técnico Joachim Low. Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão "Joachim Low e Michael Ballack conseguiram estabelecer uma nova base de confiança durante encontro particular em Frankfurt na quinta-feira. Por isso, Ballack continuará como capitão da equipe", informou a federação alemã de futebol (DFB) em nota nesta sexta-feira. O meia do Chelsea foi para Frankfurt a pedido do técnico para discutir comentários feitos a um jornal alemão sobre a maneira com a qual seu colega de seleção Torster Frings foi deixado de fora das duas últimas partidas das eliminatórias da Copa do Mundo. Ballack já havia divulgado uma nota pública antes da reunião dizendo que iria pedir desculpas a Low.  "A pré-condição (para continuar como capitão) era que ele se desculpasse com Low, permitindo que o conflito fosse resolvido", acrescentou a DFB. Ballack, que está afastado depois de passar por uma cirurgia nos dois pés no início do mês, disse na nota da DFB que "não era aceitável" que ele comentasse em público as decisões de Low. "Ele é o técnico da seleção, ele toma as decisões e todos temos que aceitar isso", disse o meia. "Depois de nossa discussão eu não tenho dúvidas de que a seleção irá conseguir seus objetivos em um bom ambiente". Já Low disse que foi importante conversar abertamente.  "Michael Ballack continua meu capitão, mas ele como capitão deve obedecer nossas regras", disse Low na nota da DFB. "Ele sabe que pode discutir o que quiser comigo internamente, mas todas as decisões relacionadas ao esporte são feitas pela equipe técnica e deixei isso absolutamente claro ao Michael. Estou muito feliz que esse jogador fantástico, que já desempenhou um grande papel em nossos sucessos do passado, irá continuar a nos ajudar em nosso objetivo de chegar a Copa de 2010", completou o comandante alemão.

Tudo o que sabemos sobre:
seleção alemãfutebolBallack

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.