Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Após despedida da Vila, Cuca aconselha próximo técnico do Santos: 'Seja chato'

Com problema cardíaco, treinador vai cuidar da sua saúde em 2019

Estadão Conteúdo

25 de novembro de 2018 | 09h34

O técnico Cuca realizou no último sábado sua última partida como técnico do Santos na Vila Belmiro, na vitória por 3 a 2 sobre o Atlético-MG, pelo Campeonato Brasileiro. Depois de se despedir da torcida, o treinador até já deu conselhos para seu substituto, que ainda não foi definido.

"O aprendizado aqui foi muito grande. Praticamente morei na Vila. Teve umas rusguinhas que fazem parte, sou chato, sei disso. O (presidente José Carlos) Peres sabe. Nunca fui chato por mim, mas sim para melhorar para o Santos. Por isso, ele me entendeu. Que o próximo técnico seja chato também", declarou.

Cuca precisará se afastar do futebol no ano que vem para tratar um problema cardíaco, revelado por ele nos últimos dias. O treinador se mostrou bastante satisfeito por seu período no Santos - apenas quatro meses - e só lamentou não ter conseguido a vaga na Libertadores, que acredita que teria vindo não fossem os desfalques de nomes importantes, frequentemente convocados por suas seleções.

"Sentimento de gratidão e lástima por não termos conseguido contar com jogadores como (Carlos) Sánchez e Derlis (González), que têm qualidade e fazem falta. Quando não pudemos contar com eles, não conseguimos manter o mesmo nível de jogo", apontou.

Apesar de exaltar estes nomes, trazidos nos últimos meses, o técnico admitiu que o Santos terá que ir ao mercado para reforçar o elenco em 2019. "Vai precisar, talvez um ou dois jogadores. Estava conversando com o Bryan (Ruiz), Sánchez e Derlis esses dias. Ano que vem eles vão ter de exercer uma liderança maior, estarão mais adaptados. Esses três vão ajudar bastante", considerou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.