Divulgação
Divulgação

Alecsandro admite que 'falta gol, mas não vontade' no Palmeiras

Após discutir com torcedor, atacante admite má fase

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

15 de outubro de 2015 | 17h57

Irritado com algumas cobranças da torcida do Palmeiras, o atacante Alecsandro xingou torcedores, que pediram para que ele honrasse a camisa do clube, no momento em que foi substituído por Cristaldo, na derrota por 1 a 0 para a Ponte Preta na última quarta-feira. O jogador ficou irritado e disse não concordar com o protesto.

"Está faltando gol, e não raça. Isso o torcedor nunca vai poder cobrar de mim", disse o atacante, que marcou um gol em 14 jogos com a camisa do Palmeiras. "O torcedor tem que cobrar mesmo. O Alecsandro tem de fazer valer o nome de Alecgol e não vou fugir disso", avisou o jogador.

Após ser substituído, Alecsandro respondeu as críticas xingando alguns torcedores, que estavam atrás do banco de reservas. Em seguida, jogou um copo de água no chão e foi para o vestiário, sem se sentar no banco de reservas.

Ao final da partida, admitiu ter ficado chateado com as críticas. "Não valia a pena ficar no banco. Confesso que fiquei um pouco chateado, sim. No vestiário tem uma televisão de 60 polegadas que passa o jogo e pude assistir tranquilo, bebendo água e suco e com a cabeça tranquila", explicou o atacante, que teve uma nova oportunidade com a ausência de Lucas Barrios, que na terça-feira defendeu a seleção paraguaia contra a Argentina, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo.

Para reforçar que não faz "corpo mole", o jogador de 34 anos lembrou que abriu mão de jogar no Flamengo para defender o Palmeiras. "Estou com quase 20 anos de carreira e se não ficar chateado quando for substituído, tenho que parar. Ainda tenho brilho nos olhos e quero vencer sempre. Estava em uma situação confortável em outro clube e saí para buscar um novo desafio na minha carreira", defendeu-se.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasAlecsandro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.