Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Após dois anos, Fabrício Carvalho festeja seu melhor gol

Em 5 de dezembro de 2004, Fabrício Carvalho marcou seu 18.º gol no Campeonato Brasileiro daquele ano, vestindo a camisa do São Caetano. Não imaginava, na ocasião, que o gol - contra o Atlético-PR - quase foi o último da carreira, apesar de ainda jovem. Somente 27 meses (ou dois anos e três meses) mais tarde, o artilheiro de 28 anos de idade voltou a balançar a rede. Foi na noite de quarta-feira no empate entre Goiás, seu clube atual, e Bahia, por 1 a 1, pela Copa do Brasil. Um gol importante para a equipe goiana - que joga por vitória simples na partida de volta, em casa -, mas mais importante ainda para o atacante. "A sensação no momento do gol foi a melhor possível, estava ansioso demais para voltar a marcar?, afirmou Fabrício Carvalho, que venceu um problema cardíaco para continuar jogando futebol.A imprensa goiana fez festa. Seus familiares, de Andradina (interior de São Paulo), lhe telefonaram dando os parabéns. Torcedores colocaram inúmeras mensagens de cumprimentos no orkut. E os colegas vibraram. O lance, para o atleta, teve mais relevância do que os gols que levaram o São Caetano ao título paulista de 2004, desbancando favoritos como São Paulo e Santos. ?Estou feliz, o momento é especial para mim, recebi muitas ligações hoje, mensagens, é uma nova etapa em minha vida?, contou Fabrício Carvalho.Em 2004, ele era atacante valorizado, bom finalizador. Vários clubes pensavam em contratá-lo: São Paulo, Palmeiras, alguns europeus. ?Ele estava praticamente negociado com um clube turco?, lembrou seu empresário, Álvaro Cerdeira. Mas nos exames de pré-temporada realizados no início de 2005, os médicos constataram que Fabrício Carvalho possuía arritmia cardíaca em grau elevado. Não podia, assim, voltar a bater bola até que o problema fosse resolvido. O tempo passou e a equipe do cardiologista Nabil Ghorayeb, do Hospital do Coração e do Dante Pazzanese, não o liberou para voltar aos campos. Fabrício Carvalho foi desligado do São Caetano, mas, inconformado com a situação, seguiu jogando futebol com os amigos, em Andradina. Resolveu, então, procurar outra equipe médica, que lhe deu aval para que voltasse ao esporte, quando já não imaginava mais atuar profissionalmente.No mês passado, após pesada bateria de exames, ele assinou contrato com o Goiás. Antes do gol contra o Bahia, já tinha estado em campo por alguns minutos diante do Vila Nova e iniciado a partida contra o Mineiros. ?Sou grato ao Goiás e agora penso em chegar à seleção e, um dia, ir para a Europa?, avisou Fabrício Carvalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.