Raul Ramos/Agência Botafogo-SP
Raul Ramos/Agência Botafogo-SP

Após dois anos, volante Denilson volta ao futebol no Botafogo

Ex-jogador do São Paulo e do Arsenal estava se recuperando de cirurgias no joelho

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

19 Janeiro 2019 | 04h30

Há pouco mais de dois anos sem atuar, o volante Denilson, ex-jogador do São Paulo e do Arsenal, está de volta ao Campeonato Paulista. O jogador de 30 anos deve estrear pelo Botafogo neste domingo, diante do São Bento, na primeira rodada do torneio. "Estou muito feliz e ansioso. Não sei ainda se vou jogar ou entrar no decorrer da partida. Mas o mais importante é que depois de um longo período vou ter a chance de voltar a fazer o que sei fazer. O importante é esta sensação que estou sentindo", disse o volante.

Denilson ficou fora dos gramados por causa de cirurgias no joelho direito. "Operei o joelho três vezes. Foi uma artroscopia que fiz, mas tive que mexer na cartilagem também", diz o atleta que atuou pela última vez no dia 26 de outubro de 2016, quando ainda vestia a camisa do Cruzeiro.

O jogador nega que tenha interrompido a carreira. "Não decidi interromper a carreira. Fiquei o tempo parado por causa do incômodo que sentia no joelho. Mesmo depois da cirurgia, sentia bastante incômodo e não conseguia voltar de forma alguma. Por causa do joelho fiquei um bom tempo parado", afirma. "Sempre quis voltar a jogar. Quando apareceu a oportunidade no Botafogo não pensei duas vezes. É a única coisa que sei fazer, o que eu amo fazer, é minha alegria estar dentro das quatro linhas", afirma.

O volante treina há três meses no time de Ribeirão Preto. Durante a pré-temporada, foram três partidas (duas vitórias e uma derrota). Para o volante, a derrota no último jogo de preparação serviu como um sinal de alerta em busca de fazer os ajustes necessários.

"Foram três jogos amistosos bons. Fisicamente a gente está chegando em um nível ideal. Ainda falta bastante coisa. Muitos jogadores se apresentaram no começo do mês e não dá para dizer ainda que estamos 100% física e tecnicamente em perfeitas condições. Mas os amistosos foram bons para pegar um pouco de ritmo. Individualmente está sendo muito importante depois de dois anos voltar a jogar", diz o ex-são paulino. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.