Carl Recine/Reuters
Carl Recine/Reuters

Após eliminação da Rússia, zagueiro Ignashevich anuncia aposentadoria do futebol

Aos 38 anos, capitão russo decide encerrar a carreira e admite que adiou decisão para disputar a Copa do Mundo

Estadão Conteúdo

08 Julho 2018 | 04h42

A derrota da Rússia para a Croácia, nos pênaltis, nas quartas de final da Copa do Mundo, marcou a última página da carreira profissional de Sergei Ignashevich. Na noite de sábado, momentos após a queda em Sochi, o zagueiro de 38 anos anunciou que aquela fora sua última partida como jogador.

+ Símbolos de uma era, ‘sete irmãs de Stalin’ ostentam poder

+ Quem vai sobrar? Maioria da seleção brasileira atual deve estar apta para 2022

+ Eliminação agiliza negociações de jogadores da seleção no mercado

"Esta foi minha última Copa do Mundo, meu último torneio e minha última partida da carreira no futebol. Se não fosse pela Copa do Mundo, eu teria me aposentado antes. O torneio era uma grande motivação para mim. Sinto-me feliz, em paz, porque estou terminando em alta, jogando o Mundial, as quartas de final", declarou em vídeo publicado pela federação do país.

Ignashevich foi titular nas cinco partidas da Rússia disputadas na Copa e um dos jogadores que acertaram suas cobranças na disputa de pênaltis contra a Croácia, após empate por 2 a 2 na prorrogação. Smolov e Mario Fernandes, no entanto, desperdiçaram suas tentativas e viram cair por terra o sonho de ir à semifinal.

 

"Tudo pode acontecer no futebol. Mas aqui, ninguém estava insatisfeito, nem no vestiário e nem no campo. Agora, eu planejo receber uma licença para se treinador em dezembro. Eu gostaria de me tornar técnico, um bom técnico", revelou o agora ex-zagueiro.

Desde 2002, quando estreou, até sábado, foram 127 partidas de Ignashevich pelo país, o que faz com que detenha o recorde de jogos vestindo as cores russas. O jogador chegou a deixar a seleção em 2016, mas voltou à vésperas da Copa diante do número de desfalques da Rússia na defesa.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.