Ricardo Moraes/Reuters
Ricardo Moraes/Reuters

Após eliminação do Botafogo, Lindoso conclui: 'Faltou cozinhar o jogo'

Alvinegro deu adeus à Sul-Americana após perder para o Bahia nos pênaltis

Estadão Conteúdo

04 Outubro 2018 | 00h30

A derrota para o Bahia nos pênaltis, que culminou na eliminação do Botafogo da Copa Sul-Americana em pleno Nilton Santos, com mais de 30 mil torcedores, foi um balde de água fria aos cariocas. Nesta quarta-feira, o time alvinegro até levou a melhor no tempo normal, por 2 a 1, mas acabou derrotado nas penalidades.

Após a partida, o volante Rodrigo Lindoso comentou a eliminação e afirmou que o Botafogo poderia ter tido uma postura diferente para não se abrir tanto aos ataques do adversário, especialmente quando já vencia por 1 a 0, resultado que suficiente para a classificação.

"Foram dois belos jogos. O jogo ficou bem aberto no final, mas nós bobeamos. A gente poderia ter cozinhado o jogo mais um pouquinho e depois aproveitar os contra-ataques", analisou.

No final, Marcinho e Moisés desperdiçaram as cobranças pelo Botafogo. O goleiro Saulo ainda chegou a defender o chute de Jackson, mas não foi suficiente para evitar a queda. "Nos pênaltis, tem um pouco de competência e um pouco de loteria. Já vimos eliminações como essa em outras competições", concluiu Lindoso.

Rodrigo Pimpão disse que "pênalti é loteria, mas não temos que culpar ninguém". Por outro lado, mostrou-se contente por marcar o oitavo gol em competições internacionais e se igualar a Sinval como maior artilheiro da do Botafogo nestes torneios. "Só consegui isso porque o clube me permitiu, bem como todos os companheiros e aqueles que trabalham ao nosso lado. Nada disso teria acontecido sem o Botafogo."

O goleiro Saulo, que era esperança da torcida, disse que "agora é focar no Brasileiro, porque não adianta abaixar a cabeça". Com essa meta, o elenco volta a campo na próxima terça-feira, no clássico diante do Vasco, marcado para o Engenhão, pela 28.ª rodada do campeonato.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.