Agustin Marcarian/Reuters
Agustin Marcarian/Reuters

Após eliminação, Fagner pede união dos brasileiros contra a Conmebol

Lateral-direito diz que clubes do Brasil precisam se unir para não serem prejudicados pela arbitragem

O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2017 | 00h17

Os jogadores do Corinthians deixaram o gramado do estádio Presidente Perón, após o empate por 0 a 0 com o Racing, nesta quarta-feira, pela Copa Sul-Americana, muito irritados com a arbitragem de Leodan González, do Uruguai. O lateral-direito Fagner era um dos atletas mais revoltados com a situação.

“O brasileiro sai fora do Brasil e fica desprotegido. É árbitro e todo mundo contra. O futebol brasileiro tem que se unir e ir contra a Conmebol. Aqui tem pai de família e ninguém vai ficar levando tapa na cara”, desabafou, em entrevista à TV Globo.

Ao final da partida, que culminou com a queda do Corinthians da Copa Sul-Americana, os jogadores foram tirar satisfação com o árbitro e reclamar da não marcação de alguns lances e por, segundo eles, a arbitragem deixar os argentinos cometerem faltas sem serem advertidos.

“O juiz apitou para eles o jogo todo. Falta do Jô e ele não dava para nós. O cara chutou a cara do Romero e ele não deu vermelho. O Rodriguinho dividiu uma bola e foi expulso”, reclamou o lateral. Rodriguinho e Jô foram expulsos durante a partida.

O Corinthians foi eliminado pelo número de gols marcados fora de casa. No primeiro jogo, realizado na Arena Corinthians, o placar foi de 1 a 1. O Racing enfrenta na próxima fase o Libertad, do Paraguai. Já o time de Fábio Carille concentra suas forças apenas no Campeonato Brasileiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Corinthiansfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.