Franck Fife/AFP
Franck Fife/AFP

Após eliminação, Mascherano anuncia aposentadoria da seleção argentina

Volante de 34 anos afirma que 'passará a ser torcedor' e que queria ter encerrado passagem de forma diferente

Ciro Campos, enviado especial / Kazan, O Estado de S.Paulo

30 Junho 2018 | 15h06

O volante Javier Mascherano anunciou neste sábado em Kazan, na Rússia, a aposentadoria da seleção da Argentina. Aos 34 anos e depois de ter sido eliminado no quarto Mundial que disputou, o jogador fez um comunicado na saída do vestiário para revelar que não jogará mais pelo país.

+ Eliminação leva Argentina a completar 25 anos sem conquistar títulos

+ Melhor em campo contra a Argentina, Mbappé fala em 'ir mais longe na Copa'

+ FOTOS: Confira os memes da eliminação da Argentina

"Terminou. Agora serei mais um torcedor da Argentina", afirmou. "Está concluída a história. Gostaria de ter encerrado de forma diferente", completou o volante, que disputou mais de 140 partidas em 15 anos de atuação pela seleção nacional. O único título conquistado foi pela seleção olímpica, em Atenas, 2004.

Mascherano deu longa entrevista em tom emocionado. Foi o único argentino a falar depois da eliminação para a França na derrota por 4 a 3 pelas oitavas de final da Copa do Mundo. "A despedida é triste. Mas quero olhar para trás e sentir orgulho do que fiz. Sempre me esforcei muito e busquei ganhar todos os jogos", disse.

 

O volante amargou na passagem pela seleção a tristeza de ter sido vice em muitos campeonatos. O mais marcante foi a derrota na final da Copa para a Alemanha, em 2014, porém houve também quatro derrotas em decisões de Copa América e outra em final da Copa das Confederações. Ao relembrar esses momentos, o jogador ficou emocionado.

"Desejo a todos os rapazes que continuem. Eles podem conquistar o que não pude. Eu vou continuar a incentivar, mas agora de fora", afirmou. Mascherano atualmente joga no futebol da China, pelo Hebei Fortune.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.