Twitter Oficial / Swansea
Twitter Oficial / Swansea

Após eliminação na Copa, capitão da Coreia do Sul indica que deixará a seleção

Ki Sung-Yueng demonstra desgaste com os resultados recentes da seleção

Estadão Conteúdo

03 Julho 2018 | 05h38

A eliminação da Coreia do Sul na primeira fase da Copa do Mundo da Rússia deve ter marcado a última participação de Ki Sung-yueng com as cores do país. Nesta terça-feira, o capitão da seleção asiática, de 29 anos, indicou que não deverá mais defender o time sul-coreano.

+ Coreanos fazem campanha para astro da seleção não ir para o exército

+ Emissora suspende apresentadores por gesto racista contra seleção da Coreia do Sul

"Eu não posso confirmar se vou me aposentar (da seleção) com certeza, já que não consigo tomar minha decisão agora", declarou o jogador no Aeroporto Internacional de Incheon. "Mas eu organizei meus pensamentos para um certo período. Pelos últimos quatro anos, me senti responsável por não liderar este time bem."

Apesar da queda prematura na Copa do Mundo, Ki deixou a competição como um dos destaques da Coreia do Sul. Não à toa, foi anunciado como reforço do Newcastle para o Campeonato Inglês, deixando o Swansea, que caiu para a segunda divisão do país. O jogador indicou que a decisão de trocar de clube tem a ver justamente com a possibilidade de deixar a seleção.

"Quando comecei a jogar na Europa, eu me preocupava com a seleção sempre que tomava qualquer decisão. Até agora, me sacrifiquei pela seleção nacional, a considerei importante, então escolhi apenas times em que poderia jogar muitas partidas. Mas agora que a Copa do Mundo terminou, eu não tenho que pensar desta forma", avaliou.

 

Com 104 partidas pela seleção, Ki ainda se mostrou decepcionado com os resultados recentes de seu país, apesar da vitória por 2 a 0 sobre a Alemanha na despedida da Copa. "Eu vi muitos técnicos chegarem e irem e me senti consideravelmente responsável por isso, como capitão. Então, isso realmente me cansou. Mas eu ainda não tomei minha decisão. Vou anunciar quando isso acontecer."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.