Após elogios, Felipão cobra jogadores internamente pelo empate

Técnico da seleção brasileira criticou a falta de concentração da equipe no segundo tempo

ALMIR LEITE, enviado especial, Agência Estado

21 de março de 2013 | 22h25

GENEBRA - O técnico Luiz Felipe Scolari elogiou publicamente todos os jogadores da seleção brasileira após o empate com a Itália por 2 a 2, nesta quarta-feira em Genebra - só não demonstrou muito entusiasmo ao falar de Kaká, que entrou muito mal no jogo. Mas, nos vestiários, cobrou os jogadores pela desatenção que acabou resultando nos dois gols dos italianos.

Felipão não gostou da falta de concentração da equipe no início da etapa final e também de algumas bolas perdidas bobamente. Uma delas, por Oscar, teve como consequência o gol de Balotelli, o do empate dos italianos.

Oscar, que fazia boa partida até sair de campo aos 16 minutos da etapa final - cinco minutos após seu erro - confirma a cobrança, mas não aceita ser considerado culpado pelo empate. "O Felipão faz cobrança geral. E não é apenas um jogador que erra, naquele lance outro companheiro poderia ter ajudado."

O zagueiro David Luiz, capitão da seleção contra a Itália, admitiu que a equipe se desligou no início da etapa final e que isso foi fatal. "Vacilamos e aí eles dominaram o jogo", afirmou.

Para o goleiro Julio Cesar, um dos melhores em campo, os adversários só fizeram dois gols por causa de erros dos brasileiros. "Os gols deles saíram em falhas nossas."

AMISTOSO EM SANTA CRUZ - A convocação da seleção brasileira para o amistoso de 6 de abril, contra a Bolívia, em Santa Cruz de la Sierra, foi adiada desta quinta-feira para a próxima. Como não há mais necessidade de tomar vacina contra a febre amarela para entrar na Bolívia, Felipão resolveu ganhar mais tempo para pensar melhor no que fazer.

Ele só convocará atletas que estão no futebol brasileiro e já avisou que haverá surpresas, pois pretende chamar no máximo dois jogadores por clube, para não prejudicá-los nas competições que estão disputando.

O jogo deverá ter parte da renda entregue à família do garoto Kevin Espada, morto em consequência do lançamento de um sinalizou que o atingiu no olho, durante a partida entre San Jose e Corinthians, em fevereiro, pela Libertadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.