Naomi Baker/AP
Naomi Baker/AP

Após empate do United, Martial é mais uma vez alvo de comentários racistas na internet

Atacante é vítima de injúrias raciais por conta do resultado final e dos gols perdidos por Manchester

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2021 | 12h00

Atacante do Manchester United, Anthony Martial foi mais uma vez vítima de comentários racistas nas redes sociais. Os ataques ocorrem após gol perdido no empate em 1 a 1 da sua equipe com o West Bromwich, neste fim de semana. O resultado deixou o time a 7 pontos de diferença para o líder do Campeonato Inglês, o Manchester City.

Martial já havia sido vítima de ofensas criminosas e discriminatórias anteriormente. Ele e Axel Tuanzebe, companheiro de United, sofreram ataques similares no dia 27 de janeiro, quando a equipe de Manchester perdeu para o Sheffield United. Inúmeros comentários preconceituosos tomaram conta de uma postagem do jogador de 25 anos, dias após a rede social em questão ter dito que estava impondo duras penalidades aos perfis identificados cometendo tal ato.

Além deles, diversos jogadores do futebol inglês sofreram ataques racistas, o que chegou a unir clubes rivais tradicionais em uma campanha contra tal ofensa. Dentre os atletas alvos, estão Marcus Rashford e Lauren James, também do Manchester United, além de Reece James, do Chelsea, e Alex Jankewitz, do Southampton. Outros vários jogadores também são vítimas.

Na iniciativa citada, Manchester United, Manchester City, Everton e Liverpool, deixaram de lado a rivalidade para emitir comunicado conjunto pedindo para o fim do racismo. "Nós condenamos o abuso racial que muitos jogadores, funcionários e colaboradores continuam a sofrer, mais recentemente nas plataformas de redes sociais", disse um trecho da publicação.

A rede social Facebook, dona do Instagram, plataforma o qual acontece a maioria dos ataques, se posicionou recentemente, dizendo estar "horrorizada" com os discursos de ódio que jogadores frequentemente recebam e se comprometeu a aplicar penas severas a usuários que praticarem tal ato. A Premier League, que organiza o Campeonato Inglês, também anunciou um plano para erradicar as injúrias raciais e criar mais oportunidades para minorias no futebol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.