Vitor Silva/Botafogo
Vitor Silva/Botafogo

Após empate sem gols, Botafogo busca corrigir erros para ir à final da Taça Rio

Time de Marcelo Chamusca ficou no 0 a 0 com o Nova Iguaçu na semana passada em um jogo pobre tecnicamente

Redação, Estadão Conteúdo

09 de maio de 2021 | 12h48

Depois de empatar sem gols com o Nova Iguaçu na semana passada em um jogo pobre tecnicamente, o Botafogo busca fazer os ajustes necessários para ter um desempenho melhor diante do rival do interior do Rio de Janeiro no jogo de volta das semifinais da Taça Rio. O time alvinegro precisa da vitória neste domingo, às 18h, no Engenhão, para avançar à final.

Como fez melhor campanha na Taça Guanabara, o Nova Iguaçu joga pelo empate para se classificar à decisão da Taça Rio. Ao Botafogo, resta apenas o triunfo por qualquer placar. E isso tem sido um problema, já que a equipe do técnico Marcelo Chamusca mais empatou do que venceu em 2021.

"Estamos tentando fazer o melhor, analisando todas as situações, procurando dar oportunidades a jogadores formados no clube, valorizando ativos do clube. Ninguém quer sequência de empates, mas faz parte do momento. Estamos trabalhando para evoluir e ter mais vitórias do que empates", ressaltou o treinador.

Com um time muito novo e em reconstrução, o Botafogo confia em seus garotos, como o atacante Matheus Nascimento, de 17 anos, para conseguir a classificação. O clube, inclusive, recusou uma oferta de 23 milhões de euros (cerca de R$ 150 milhões) de um clube de Portugal pela joia nesta semana. A avaliação é de que o jovem possa rende mais aos cofres do alvinegro no futuro.

O Botafogo definiu como obrigação ganhar a Taça Rio para apagar o péssimo desempenho da fase de classificação. Serviria para renovar o voto de confiança no técnico Marcelo Chamusca, bastante pressionado por não "ajustar" o time para a disputa da Série B ainda.

O treinador teve mais uma semana livre de treinos para corrigir os erros e dar corpo à equipe. "A mecânica está mais consistente, então agora estamos começando a estabelecer intensidade e forma de jogar. Mas isso requer mais trabalho, mais cobrança em cima dos jogadores. A gente mobiliza os jogadores, analisa o adversário, mas quem faz o jogo acontecer são os jogadores dentro de campo", disse Chamusca. "Não ficamos satisfeito, mas são 180 minutos, temos mais 90 minutos para vencer e avançar para a final do campeonato".

O volante Luiz Otávio, que não enfrentou o Nova Iguaçu no último domingo, sofreu entorse no tornozelo e continua fora. Já o lateral-esquerdo Guilherme Santos apresentou sintomas de comprometimento do trato respiratório e passa por exames. Rafael Navarro (lesão na posterior da coxa esquerda), Gilvan (tendinite no calcâneo esquerdo) e Ricardinho (trauma no tornozelo direito) estão em fase final de recuperação de suas respectivas lesões e é improvável que enfrentem o Nova Iguaçu.

O Nova Iguaçu não quer jogar com a vantagem de poder empatar debaixo do braço e estará atentos aos contra-ataques e às fraquezas do Botafogo para sair com a vitória. No primeiro duelo, fez um bom jogo ao anular as principais peças de um adversário lento e que foi pouco agressivo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.