Rafael Ribeiro / vasco.com.br
Rafael Ribeiro / vasco.com.br

Após empate, Valdir Bigode lamenta chances perdidas pelo Vasco em casa

Técnico diz que protestos e vaias dos torcedores após empate com o Ceará são válidos

Estadão Conteúdo

21 Agosto 2018 | 08h36

O técnico interino Valdir Bigode lamentou as chances desperdiçadas pelo Vasco no empate por 1 a 1 com o Ceará, na noite desta segunda-feira, no encerramento da 19ª rodada do Brasileirão. Para o treinador, o time carioca não soube aproveitar a vantagem de jogar com um homem a mais em campo nos dez minutos finais da partida disputada em São Januário.

"Tivemos um espaço bom de tempo para treinar. Treinamos, procurei junto com a comissão passar pra eles o que necessitávamos numa partida como essa. Jogamos um tempo não tão bom e o outro muito bom. Tivemos um a mais no fim do jogo, criamos ainda mais, mas não fomos felizes na finalização", comentou o treinador.

As chances desperdiçadas custaram uma boa subida na tabela do Brasileirão. O revés manteve o time carioca perto da zona de rebaixamento, com os mesmos 19 pontos do Vitória (tem vantagem somente no saldo de gols), primeira equipe dentro da zona da degola.

"Estamos cientes da tabela. Conversamos muito. Uma vitória nos deixaria em uma situação boa, com dois jogos a menos. Nosso grupo é bom, só não estamos com a felicidade plena. Temos tido que fazer substituições não planejadas. Eles estão dando o máximo", declarou o interino.

O tropeço em casa contra o rival direto na briga para escapar do rebaixamento gerou vaias por parte da torcida em São Januário. "Os protestos são válidos. O time cresceu no jogo, circulou as jogadas, fizemos o gol e continuamos em cima. Criamos chance com o Giovanni, mas depois levamos o gol. O torcedor reagiu bem. O peso da torcida é importantíssimo, a torcida protestou com razão. Faz parte", ponderou.

Interino do time, Valdir Bigode já demonstrou interesse em permanecer no comando da equipe. Mas a diretoria ainda não definiu se manterá o ex-jogador da equipe à frente da comissão técnica.

Sem saber se ainda será o treinador do time, Valdir deve liderar o time na próxima rodada contra o Atlético Mineiro, no Independência, na quinta-feira. "Vou enfrentar o Atlético lá com todas as forças que temos. É claro que temos problemas e vamos sanar esses problemas para chegar com um potencial ainda maior de finalização. Temos alguns dias para trabalhar e vamos focar nisso", declarou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.