Aaron Chown / AP Photo
Aaron Chown / AP Photo

Após encerrar uma era de 22 anos no Chelsea, Terry assina com o Aston Villa

Zagueiro veterano tenta ajudar time tradicional a voltar para a primeira divisão do Campeonato Inglês

Estadão Conteúdo

03 de julho de 2017 | 11h02

Depois de encerrar uma era de 22 anos de serviços prestados ao Chelsea, no qual chegou em 1995 e ficou até o término da última temporada europeia, John Terry foi oficialmente anunciado, nesta segunda-feira, como novo reforço do Aston Villa. O experiente zagueiro assinou um contrato de um ano com a equipe de Birmingham e festejou o novo desafio de sua carreira.

Com mais de 700 partidas disputadas pelo Chelsea, o ex-capitão do time londrino e da seleção inglesa agora tentará ajudar o modesto Aston Villa a voltar à elite do futebol do seu país na próxima temporada, na qual ele disse nesta segunda que espera "ajudar o time a alcançar algo especial" agora como jogador de uma equipe da segunda divisão nacional.

Aos 36 anos de idade e com quase 600 partidas disputadas na condição de capitão do Chelsea, Terry espera se tornar o grande líder da sua nova equipe, sendo que o único time de menor porte que ele defendeu até hoje em sua carreira profissional foi o Nottingham Forest, no qual atuou por apenas em seis partidas durante curto período de empréstimo em 2000.

Ao fechar com o Aston Villa, o veterano também elogiou a boa estrutura do seu novo clube, exaltou o estádio do time e comemorou o fato de poder trabalhar com o treinador Steve Bruce, ex-jogador do Manchester United e com longa experiência à frente de equipes de porte médio do futebol inglês, além de possuir passagem pelo comando de seleções de base da Inglaterra.

"Há fantásticas instalações em Bodymoor Heath, o Villa Park é um dos estádios de melhor qualidade no país e há um bom grupo de jogadores aqui, com um experiente e bem-sucedido treinador, que é Steve Bruce", ressaltou Terry.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato InglêsChelsea

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.