Após estreia fraca, Dorival encara desafio em São Paulo

Depois da estreia abrupta, sem treinar nenhuma vez a equipe que empatou sem gols com a Portuguesa, na quinta-feira, Dorival Júnior tem o difícil desafio de derrotar o São Paulo, no Morumbi, neste domingo, a partir das 16 horas, para recolocar o Flamengo na coluna das vitórias depois de três rodadas.

LEONARDO MAIA, Agência Estado

29 de julho de 2012 | 07h07

O novo técnico rubro-negro comandou apenas uma atividade técnica, neste sábado, e espera pouca evolução tática. Dorival cobra apenas um espírito renovado e uma postura de maior luta. "Chega um treinador novo para motivar, ele está querendo trabalhar, quer nos ajudar", comentou o meia Renato, que espera que a equipe engate uma sequência de vitórias sob o comando de Dorival, se aproximando dos líderes.

"Estamos numa parte incômoda da tabela, mas não quer dizer que o grupo não tem qualidade. Só que a qualidade ainda não saiu. Está chegando um novo treinador para dar mais qualidade, mais confiança, para embalarmos", completou o meia.

Um dos motivos que levaram o diretor de futebol Zinho a contratar Dorival foi sua experiência e disposição de trabalhar com jovens talentos. Com garotos como Luiz Antônio, Muralha, Mattheus, Adryan e Thomás, o clube pretende implementar uma renovação. Mas o próprio treinador alertou que tal transição é preciso ser feita com prudência e sem pressa.

Mattheus e Adryan foram titulares na igualdade contra a Portuguesa, e tiveram lampejos do que podem render no futuro. Para o jogo contra o tricolor paulista, é provável que Dorival retome uma formação mais experiente, até pelo pouco tempo de trabalho que teve com o elenco.

Dessa forma, Renato deve voltar ao time titular. Diego Maurício pode reaparecer no ataque ao lado de Vagner Love. "Temos de ser maduros no momento, saber que é hora de simplicidade", alertou Renato.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.